Ciro Nogueira (PP)
O Antagonista
Ciro Nogueira (PP)

O presidente Jair Bolsonaro nomeou nesta quarta-feira (30) o atual superintendente-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Cordeiro , para o cargo de presidente do órgão, com mandato de quatro anos. No mercado, a indicação é vista com apreensão.

O mandato atual de Cordeiro na superintendência-geral, de dois anos, termina em outubro. A indicação foi publicada no Diário Oficial da União e Cordeiro deverá ser sabatinado pelo Senado

A nomeação consagra o sucesso da articulação política de Cordeiro, que tem como padrinho o senador e líder do Centrão Ciro Nogueira (PP) e, desde 2019, aproximou-se de gente próxima ao presidente, como o ex-secretário de Comunicação da Presidência Fabio Wajngarten.

Em campanha nos bastidores desde o ano passado, Cordeiro articulou uma dobradinha com o então presidente do órgão, Alexandre Barreto, para trocar de cargo com o xará. O mandato de Barreto acabou na semana passada.

Barreto é próximo do senador Renan Calheiros (MDB-AL) e foi chefe de gabinete do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Bruno Dantas. Sua proximidade com Calheiros pode ter minado as chances de sucesso da dobradinha.

Você viu?

Esta é a quarta indicação consecutiva de Cordeiro no Cade, o que lhe garantirá uma longevidade inédita no órgão. O atual superintendente-geral chegou ao Cade em 2015, no governo Dilma, e emplacou seu nome também nos governos Michel Temer e Bolsonaro.

No meio de seu mandato, em setembro de 2017, Cordeiro conseguiu que o então presidente Temer o nomeasse superintendente-geral do Cade.

A nomeação à época foi uma surpresa, porque um mês antes Temer havia enviado ao Congresso a indicação de uma servidora do órgão, Amanda Athayde, para o posto de superintendente-geral. A reviravolta gerou mal-estar no Cade na ocasião. Hoje, Athayde não atua mais na autarquia.

A gestão de Cordeiro tem sido marcada por uma forte centralização quanto a promoções e exonerações de servidores. Sob seu comando, ao menos seis servidores técnicos de longa data, elogiados pelos pares e pelo mercado, pediram para sair ou foram dispensados.

O estilo político de Cordeiro é visto com restrições em grandes bancas de advocacia e também por servidores do Cade, que também se queixam reservadamente do caráter pouco técnico e centralizador das promoções e nomeações do futuro presidente do órgão.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários