Guedes detalha arrecadação federal
Reprodução
Guedes detalha arrecadação federal

A arrecadação federal manteve o desempenho forte e foi positiva no mês de maio . De acordo com a Receita Federal , a arrecadação de impostos e contribuições federais no mês passado somou R$ 142,1 bilhões , um aumento real de 69,88% na comparação com o mesmo mês de 2020, já descontada a inflação. Essa alta em relação ao resultado de 2020 também reflete medidas como o adiamento no pagamento de impostos , adotada em 2020 como forma de mitigar os efeitos da pandemia da Covid-19.

Para o ministro da Economia, Paulo Guedes, a economia continua surpreendendo favoravelmente. "A economia está em pé novamente. Todos os setores aumentando a arrecadação (...). Estamos bem melhores do que diziam na virada do ano", disse.

Ele lembrou que o recorde é positivo para dar fôlego à proposta de reforma tributária. "Não podemos deixar que os impostos sufoquem o empresariado brasileiro. Nesse segundo capítulo, o sinal ficou claro: queremos reduzir a arrecadação sobre empresas", destacou o ministro.

Em contrapartida, ele pretende tributar pela primeira vez em 25 anos os dividendos de capitais. A intenção é desonerar a produção e tributar os lucros.

Você viu?

De acordo com o Fisco, este é o melhor desempenho arrecadatório desde 2000, tanto para o mês de maio quanto para o período acumulado. O recorde já havia sido registrado para os meses de fevereiro, março, abril deste ano.

Nos primeiros cinco meses do ano, a arrecadação total somou R$ 711,9 bilhões, um avanço de 21,42% em relação ao ano anterior, já descontada a inflação.

Esse bom desempenho da neste ano, apesar do recrudescimento da pandemia, é crucial para os planos da equipe econômica. A melhora da arrecadação é uma das apostas do time do ministro Paulo Guedes para bancar medidas como o reajuste na tabela do Imposto de Renda, anunciado na última semana como a nova fase da reforma tributária, e a reformulação do Bolsa Família.

De acordo com a Receita, são fatores não recorrentes que explicam o bom resultado da arrecadação de maio. Os recolhimentos extraordinários do Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) somaram cerca de R$ 16 bilhões entre janeiro e maio de 2021. O Fisco também registra que as compensações aumentaram 89% na comparação entre maio de 2021 e o mesmo mês do ano passado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários