Jair Bolsonaro, presidente da Republica
O Antagonista
Jair Bolsonaro, presidente da Republica

As viagens do presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia do novo coronavírus, entre março do ano passado e o mesmo mês deste ano, além de provocar aglomeração, também gastaram R$ 16,6 milhões , de um total de R$ 18,4 milhões gastos com deslocamentos no período (cerca de 90%), segundo a Folha de São Paulo.

As viagens que custaram mais foram durante as folgas de Bolsonaro, para as praias de Guarujá (SP) e São Francisco do Sul (SC), que somaram R$ 3,5 milhões . Uma viagem de dois dias em setembro por Eldorado(SP), onde o presidente cresceu, custou R$ 820 mil.

O presidente ainda dispensou o distanciamento e a máscara em viagem ao Ceará, que custou cerca de R$ 400 mil, em fevereiro deste ano, no momento de alta da crise sanitária.

“Não reclamo das dificuldades. Sofro ataques 24 horas por dia. Mas entre esses que atacam e vocês, vocês estão muito na frente. Não me vão fazer desistir porque, afinal de contas, eu sou imbrochável”, discursou, no município de Tianguá.

Bolsonaro intensificou as jornadas às regiões que ele tem baixa popularidade, e com isso aumentou tanto o gasto, quando o número de aglomerações. Em média, o chefe do Executivo brasileiro esteve presente em uma concentração de pessoas a cada 5,3 dias, algumas delas registradas na mesma data.



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários