bolso picanha
Reprodução Instagram
Bolsonaro fez churrasco com picanha de R$ 1.799,00 o quilo

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro  come picanha ao preço de R$ 1.799,00 o quilo, o brasileiro está mudando o cardápio e substituindo a carne bovina pelo frango e pelo ovo. Em 12 meses, o preço das carnes subiu 35% , segundo o IBGE. Diante dessa escalada, o consumidor está em busca de proteínas alternativas.

Bolsonaro fez um churrasco no Dia das Mães no Palácio da Alvorada. Uma das fotos da confraternização mostra o presidente posando ao lado de um pedaço de picanha Wagyu numa embalagem com seu rosto.

O quilo do alimento, que vem de um frigorífico em Goiás, custa R$ 1.799,99, o que fez a foto viralizar nas redes sociais e levou a críticas de internautas. A comemoração foi um dos assuntos mais comentados no Twitter na terça-feira.

Com o aumento do preço da carne, a produção e o consumo de frango e ovos em 2020 atingiram o maior patamar desde 1986, início da série histórica da entidade, e a expectativa é de aumento do consumo este ano, segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

A produção de suínos cresceu mais de 7% em 2020, mesmo com a alta no preço da ração. O milho quase dobrou de preço: passou de R$ 39,72 para R$ 75 em 12 meses.

"Conseguimos aumentar em 5,5% o mercado de suínos, 6,5% o de frango e 9,1% o de ovos em 2020", diz Ricardo Santin, presidente da ABPA. Em abril, a inflação desacelerou e ficou em 0,31%, informou ontem o IBGE. Em 12 meses, a inflação aidna está alta: 6,76%, bem acima do limite máximo, de 5,25%. Tem contribuído para isso o preço das carnes. No IPCA, a alta acumulada em 12 meses desse item é de 35,03%.

Com o preço salgado, o porteiro Almir Costa, de 48 anos, diz ter adaptado seu cotidiano. Ele trocou a carne por ovos. A família passou a consumir 30 ovos por semana. Antes, era uma dúzia: "Carne hoje virou artigo de luxo. Na minha casa estamos comprando muito mais ovo, frango e linguiça."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários