Cerimônia de posse da presidência na Petrobras
Reprodução
Cerimônia de posse da presidência na Petrobras

Na manhã desta segunda-feira (19), tomou posse da presidência do Conselho de Diretores da Petrobras o general Joaquim Silva e Luna , indicado por Jair Bolsonaro para chefiar a estatal . O novo chefe da principal empresa pública brasileira chegou contrariando o presidente da República e prometendo que a Petrobras seguirá acompanhando as variações internacionais do preço do petróleo , o que gerou aumentos dos preços dos combustíveis recentemente e incomodou Bolsonaro.

Ele afirmou que pretende conciliar os diferentes interesses, de acionistas, governo, petroleiros e consumidores. 

"É conciliando interesses de consumidores e acionistas, valorizando os petroleiros, reduzir a volatilidade sem desrespeitar a paridade, perseguir a redução da dívida e investir em pequisa e desenvolvimento e dar previsibilidade ao desenvolvimento econômico nacional" disse.

Cerimônia

Estavam presentes na posse de Silva e Luna os membros do Conselho de Administração da estatal, o ministro de Minas e Energia , Bento Albuquerque, e o diretor da ANP (Agência Nacional de Petróleo), Rodolfo Saboia.

Ex-presidente da Itaipu Binacional, Silva e Luna foi indicado por Bolsonaro e prometeu "todas as energias voltadas para o cumprimento dessa missão".

"Quem chega deve ouvir mais e falar menos. Agradeço ao presidente Bolsonaro que me indicou para o cargo de presidente. Hipoteco minha lealdade e senso de responsabilidade dessa desafiadora missão. Sabe-se que quando o homem avança quem a vai a frente é o seu passado", disse Silva e Luna.

Desafios

Sobre os principais desafios, ele mencionou "fazer a Petrobras cada vez mais forte, trabalhando com visão de futuro, segurança, respeito ao meio ambiente, aos acionistas e à sociedade em geral, de forma a garantir o maior retorno possível ao capital."

Silva e Luna confirmou que o plano estratégico já sinaliza a superação desses desafios até 2025. E buscará conciliar interesses de consumidores e acionistas, "valorizando os petroleiros e reduzindo a volatilidade sem desrespeitar a paridade de preços internacional".

Você viu?

Também ressaltou a necessidade de manter boa comunicação em meio ao conflito de narrativas. "Uma boa comunicação deve ser central, transparente e baseada em dados e fatos. Assim o trabalho de todos continuará sendo transformar com celeridade os recursos naturais em riqueza para a sociedade".

O general assumiu o posto de Roberto Castello Branco e conduzirá a estatal por dois anos. 

Investimentos

O ministro Bento Albuquerque desejou boa sorte a Silva e Luna, e ressaltou os resultados positivos durante os 2 anos de mandato do presidente Bolsonaro. Lembrou de desvios ocorridos no passado recente, e reforçou a ideia de que a produção da Petrobras pode alcançar 3,3 milhões de barris por dia até 2025, de acordo com o plano estratégico da empresa.

Também lembrou que em “10 anos serão investidos R$ 2,3 trilhões no setor de petróleo e gás natural, gerando empregos e receita para a União”.





Novos aumentos

Na quinta-feira (15), a Petrobras anunciou alta nos preços da gasolina e do diesel . Segundo a estatal, o diesel teve alta média por litro de R$ 0,10. Assim, passará de um preço médio de R$ 2,66 para R$ 2,76. Esse foi o sexto aumento desde janeiro, acumulando alta de 36,6% nas refinarias neste ano.

O litro da gasolina subiu R$ 0,05 por litro, passando de R$ 2,59 para R$ 2,64. Esse é o sétimo aumento do ano. Assim, no acumulado do ano a gasolina acumula alta de 43,4% nas refinarias.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários