A bigtech pode ultrapassar Facebook, dizem especialistas
Divulgação / TikTok
A bigtech pode ultrapassar Facebook, dizem especialistas


No ano passado, a chinesa ByteDance, start-up mais valiosa do mundo, era pressionada por todos os lados. O governo americano de Donald Trump queria que a empresa, dona da onipresente plataforma de compartilhamento de vídeos TikTok, vendesse ativos no país. Em paralelo, Pequim aumentava a vigilância sobre empresas de tecnologia, enquanto a Índia bloqueou alguns de seus aplicativos de rede social .

Apesar de todos os obstáculos, a ByteDance continuou crescendo. E, agora, seu fundador, Zhang Yiming, de 38 anos, está entre as pessoas mais ricas do mundo. Uma distinção que ultimamente tem resultado em maiores riscos na China.

Leia também

As ações da empresa são avaliadas acima de US$ 250 bilhões, segundo especialistas de mercado. Nesse patamar, Zhang, que possui cerca de 25% da ByteDance, poderia ter uma fortuna superior a US$ 60 bilhões, colocando-o ao lado de Pony Ma, da Tencent, do rei da água engarrafada, Zhong Shanshan, e de membros das famílias Walton (fundadora do Walmart) e Koch nos Estados Unidos, segundo o Índice de Bilionários da Bloomberg.

A ByteDance, famosa por seus aplicativos de vídeos curtos e pelo agregador de notícias Toutiao, mais que dobrou a receita no ano passado, após se expandir além de seu negócio principal de publicidade para áreas como comércio eletrônico e jogos online. A empresa agora estuda opções para a oferta pública inicial de algumas unidades.

"Zhang é alguém conhecido por pensar a longo prazo e não se deixa dissuadir facilmente por contratempos de curto prazo", diz Ma Rui, sócia da empresa de capital de risco Synaptic Ventures. "Ele está empenhado em construir um negócio global duradouro".

Valor nas alturas

Durante a última rodada de captação de fundos, a ByteDance alcançou avaliação de US$ 180 bilhões, informou uma fonte próxima à negociação. Um salto sobre os US$ 20 bilhões calculados há três anos, de acordo com a CB Insights.

No mercado, porém, alguns investidores defendiam uma avaliação equivalente a US$ 350 bilhões, segundo fontes. O valor da empresa para investidores de private equity se aproxima de US$ 400 bilhões, publicou o jornal South China Morning Post. Isso significaria uma fortuna ainda maior para Zhang.

Representantes da ByteDance não responderam a pedidos para comentar o assunto.

É um momento difícil para ser muito rico na China, pois o governo busca controlar as corporações mais poderosas do país e seus fundadores bilionários. Veja o exemplo de Jack Ma: depois de iniciar uma investigação antitruste, os reguladores multaram o Alibaba com uma quantia recorde US$ 2,8 bilhões, e o Banco Central do país ordenou uma gigante reestruturação de sua fintech, a Ant Group, para que fosse supervisionada mais como um banco. Na última terça-feira (13), a China ordenou que 34 empresas de internet retifiquem práticas anticompetitivas dentro de um mês.

Embora a ByteDance não tenha sido apontada como alvo, seu predomínio em redes sociais e poder de fogo para fechar acordos são áreas sensíveis que o governo está investigando.

Nascido na cidade de Longyan, no sul da China, Zhang, filho único de funcionários públicos, estudou programação na Universidade de Nankai, em Tianjin, onde conquistou seguidores no fórum on-line da faculdade consertando computadores dos colegas. Ele trabalhou na Microsoft por um breve período após se formar, mas depois disse que o emprego era tão chato que muitas vezes “trabalhava metade do dia e lia livros na outra metade”, segundo entrevista à mídia chinesa. Zhang então passou a desenvolver vários empreendimentos, incluindo um portal de busca de imóveis.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários