Diplomata Luís Fernando Serra, embaixador do Brasil na França
Marcos Oliveira/Agência Senado
Diplomata Luís Fernando Serra, embaixador do Brasil na França

O embaixador brasileiro na França , Luís Fernando Serra, disse em entrevista ao canal francês BFMTV nesta terça-feira (13), após o país europeu anunciar a suspensão de voos vindos do Brasil , que " nossa economia não depende do turismo " e que respeita a "decisão soberana da França" sobre a questão. Ele ainda aproveitou a oportunidade para defender o presidente Jair Bolsonaro, que segundo ele não é culpado pela crise sanitária no Brasil.

"Vocês pensam que o presidente Bolsonaro faz pouco? Que a culpa é do presidente? Essa é uma boa oportunidade para dizer que o Brasil já vacinou 31 milhões de pessoas e é o 5° país que mais vacinou no mundo segundo a OMS", disse o embaixador à TV francesa.

Luís Fernando Serra foi além e culpou o que chamou de esquerda pelos hospitais lotados e a gravidade da pandemia. "Proporcionalmente, em relação ao tamanho de sua população, o Brasil é o 19° país em número de mortes por um milhão de habitantes. A culpa dos hospitais lotados é da esquerda que não construiu hospitais durante os 24, 26 anos, que ficou no poder", disse o embaixador após ser questionado sobre a posição de Bolsonaro contra o lockdown e outras medidas restritivas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e adotadas por outros países.

Serra relativizou os quase 360 mil mortos por Covid-19 no Brasil ao citar que proporcionalmente o país é o 19º com mais mortes por milhão de habitantes, mas não fez o mesmo ao exaltar o número total de vacinados. Pelo ritmo da vacinação, o Brasil está bem longe dos líderes mundiais, com apenas 11,5% de sua população vacinada e ainda menos imunizados com as duas doses.

"O presidente Bolsonaro é solidário, mas quer que as pessoas trabalhem. Tem 35 milhões de brasileiros que vivem da economia informal e tem que sair de casa para trabalhar. O Brasil não tem um sistema social como a França. Se não trabalharem, eles vão morrer de outra coisa, de fome, de depressão", disse.

Suspensão de voos do Brasil para a França

A decisão foi anunciada nesta terça-feira pelo primeiro-ministro Jean Castex , em pronunciamento na Assembleia Nacional, o parlamento francês. "Notamos que a situação está piorando e decidimos suspender todos os voos entre o Brasil e a França até segunda ordem".

O principal temor são as variantes P1 e P2 , mais transmissíveis e, ao que tudo indica, mais letais. Por conta disso, a França suspendeu voos até mesmo de seus cidadãos, que ainda não sabem como voltarão ao país europeu. A tendência é que os retornantes tenham que se submeter a um período de quarentena forçada, de modo a garantir que estarão livres do vírus e, consequentemente, não levarão as variantes do Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários