Trabalhadores usavam livros didáticos como papel higiênico
Divulgação/Ministério Público de Minas Gerais
Trabalhadores usavam livros didáticos como papel higiênico

Uma operação do Grupo Móvel Nacional resgatou 66 trabalhadores em condições análogas à escravidão em uma fazenda de produção de carvão, em Brasilândia de Minas (MG). Os trabalhados aconteceram entre os dias 23 de fevereiro e 4 de março, com assinatura de acordos entre as empresas e funcionários.

De acordo com o Ministério Público , os funcionários, a maioria aliciados de outros estados, usavam livros didáticos como papel higiênico, precisavam suas necessidades no mato e dormiam em colchões sobre o chão. As condições ainda eram precárias nos banhos dos trabalhadores, nos alojamentos e nos materiais disponibilizados a eles. A falta de água era constante e havia um depósito de combustíveis ao fundo, podendo provocar incêndios.

As investigações apontam que as empresas envolvidas prometiam emprego com boa remuneração para os pretendentes. Quando chegavam ao local, os funcionários encontravam uma realidade diferente da prometida. Sem salários, carteira assinada e documentos pessoais retidos pelos empresários.

Segundo o Grupo Móvel, o resgate foi o maior realizado, até o momento, neste ano. A operação contou com o apoio do MP e da Polícia Federal .

As empresas envolvidas assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e deverão pagar R$ 970 mil em indenizações aos funcionários. O MP informou que os trabalhadores voltaram para os seus estados após o término das negociações. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários