Brasil Econômico

Petrobras reduz preço da gasolina em 4% nas refinarias
Agência Brasil
Petrobras reduz preço da gasolina em 4% nas refinarias


O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vai monitorar o preço dos combustíveis em postos de todo o país a partir desta sexta-feira (19). A determinação acontece após a  Petrobras anunciar um reajuste nos valores da gasolina (10,2%) e do diesel (15%) nas refinarias.

O monitoramento avaliará como  o quarto reajuste deste ano vai chegar nas bombas dos postos. A investigação verificará se os revendedores adotarão práticas anticompetitivas como a “colusão”, que é quando dois concorrentes fecham acordos entre si para implementar um aumento de preços igual.

A decisão de monitorar todo o país surgiu de uma apuração de condutas de cartel no Distrito Federal.

Você viu?


Livre mercado?


Em entrevista aos jornais Metrópoles e Correio Braziliense, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Distrito Federal (Sindicombustíveis/DF), Paulo Tavares, alertou sobre uma possível alta no preço dos combustíveis de até R$ 0,10 por conta do reajuste da Petrobras.

Uma nota técnica do órgão diz que essas entrevistas poderiam revelar uma “tentativa clara de influenciar o mercado revendedor a ser comportar uniformemente, repassando coletivamente o aumento de custo verificado”, isto é - atrapalhando a livre concorrência. 

A suspeita do Cade é que essas falas podem facilitar a “colusão” do mercado de revendedores de combustíveis. Isso por que a conduta do sindicombustíveis possibilitaria que diferentes donos de postos praticassem uma possível ação coordenada em um "acordo tácito" de aumento de preços.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários