‘Se diminuir o diesel, o feijão vai ficar mais barato”, afirma Bolsonaro

Após ameaça de greve dos caminhoneiros, Palácio do Planalto tenta encontrar alternativas para diminuir encargos

Jair Bolsonaro assumiu que país arrecada muito com impostos e isso só deve mudar com a Reforma Tributária
Foto: Reprodução Facebook
Jair Bolsonaro assumiu que país arrecada muito com impostos e isso só deve mudar com a Reforma Tributária

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na noite desta quinta-feira (11) que deve apresentar um projeto para a regulamentação de uma emenda constitucional para definição de porcentagem ou valor fixo de impostos em combustíveis . De acordo com Bolsonaro, o  Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) seria responsável por definir as alíquotas federais enquanto os estados discutirão os valores de ICMS .

Na transmissão, o presidente assumiu as altas taxas de impostos e afirmou esperar a aprovação da reforma tributária ainda neste ano.

“Se a gente conseguir reduzir o diesel, o feijão, arroz, seja lá o que for que depende de transporte rodoviário, vai chegar mais barato na ponta da linha”, afirmou Bolsonaro ressaltando que discute com o Ministério da Economia a redução de PIS/Cofins .

Você viu?

“Nós vamos exigir via decreto nos postos de gasolina, terá uma placa com o preço da refinaria, impostos federais, estaduais e margem de lucros. A União, governadores, prefeitos, nós arrecadamos muito [com impostos], onde pretendemos ver isso aí, com a reforma tributária. Ela vai conseguir chegar até o final do ano? Não sei, espero que sim”, ressaltou.

A movimentação para a redução de impostos em combustíveis acontece após a tentativa de greve dos caminhoneiros no começo deste mês e o receio de provocar uma crise econômica ainda maior. O Palácio do Planalto tenta negociar com o Congresso Nacional a adoção de medidas para reduzir os encargos, mas deve esbarrar nas propostas para a Reforma Tributária do próprio governo.

Bolsonaro ainda criticou agentes do mercado financeiro e afirmou que “qualquer boato eles ficam irritadinhos”.

“Pessoal do mercado qualquer coisa que se fala vocês ficam irritadinhos na ponta da linha, né? Sobe dólar, cai a bolsa. Se o Brasil não tiver um rumo todo mundo vai perder. Vamos deixar de ser irritadinho que não vai levar a lugar algum”, alfinetou.

O chefe do Planalto ainda elogiou o investimento que será feito pela General Motors . Segundo Bolsonaro, a GM irá investir R$ 10 bilhões nas fábricas de São José dos Campos e São Caetano do Sul. O portal iG entrou em contato com a empresa, mas não obteve retorno até o fechamento desta reportagem.