Brasil Econômico

Chama-se de balança econômica a subtração entre as compras e vendas de um país com o exterior
Reprodução / A Cidade ON
Chama-se de balança econômica a subtração entre as compras e vendas de um país com o exterior


O Ministério da Economia divulgou nesta segunda-feira (1°) a balança comercial de janeiro de 2021. Os dados da Secretaria de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais revelam que o Brasil fechou o primeiro mês do ano com déficit de US$ 1,125 bilhão em janeiro. É o segundo ano consecutivo que o resultado é negativo no primeiro mês do ano.

Este número é o saldo das exportações (vendas) menos as importações (compras). A compra de produtos estrangeiros somou US$15,93 bilhões, 8,3% a mais que em janeiro de 2020. O valor é o maior desde janeiro de 2015. 

As exportações somaram 14,80 bilhões de dólares, o que representa crescimento de 12,4% em relação ao ano anterior

 O déficit de janeiro caiu 33,2% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando o saldo negativo atingiu US$ 1,684 bilhão.

Você viu?

A corrente de comércio – todo o volume negociado no mês – cresceu 10,2% comparado a janeiro de 2020, alcançando US$ 30,74 bilhões.


Parceirias comerciais


Dentre os principais compradores, estão Argentina, China, cujo crescimento de venda foi de 41,4%, e Hong-Kong e Macau, com 19,4%.

As importações para a Argentina também se intensificaram, somando US$ 780 milhões, um crescimento de 30,2%. Nosso vizinho latinoamericano, entretanto, foi o único que passou a vender mais para nós. China, Hong-Kong e Macau regrediram 26% em importações.  

Para os  Estados Unidos e União Europeia , as vendas brasileiras recuaram 4,4% e 5,6%, respectivamente. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários