Brasil Econômico

cuba che guevara
Wikimedia Commons
Cuba vive reforma econômica histórica no início de 2021, com novidades do sistema monetário

Após 62 anos da revolução cubana, o país inicia 2021 com reformas de grande impacto na economia local. 1º de janeiro, aniversário da revolução de 1959, foi marcado na história de Cuba como 'Dia Zero' do sistema monetário.

A partir desta sexta-feira, primeiro dia de 2021, entrou em vigor o peso cubano , moeda única do país a partir de agora. US$ 1 é equivalente a 24 pesos cubanos. O conversível cubano, que era equivalente ao dólar norte-americano e também circulava, deixa de existir.

Com a unificação sistema de câmbio, Cuba aumenta os preços de alimentos, serviços, bens básicos, e também os salários e pensões. De forma simplificada, é uma espécie de nova moeda, com tudo ganhando um novo valor. Segundo analistas, a reforma econômica é a maior desde os anos 1990.

As medidas chegam em um momento conturbado para a ilha, que vive crise econômica em decorrência da pandemia e as sanções impostas pelo governo de Donald Trump . Segundo o governo cubano, a economia registrou retração de 11% em 2020. O embargo dos Estados Unidos, a pandemia - e a consequente queda brusca do turismo - e a crise na Venezuela complicaram a situação de Cuba, que enfrentou grave desvalorização da moeda.

Os cubanos temem que as mudanças impostas pela reforma econômica dificultem suas vidas, com o aumento dos salários e pensões sendo insuficiente para compensar a alta dos preços de alimentos e itens básicos. A própria mídia estatal reconhece que as medidas devem demorar a surtir efeito e pode complicar as coisas no curto prazo, exigindo sacrifício e trabalho.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários