bolsa de valores
iStock
Bolsas de valores fecharam 2020 em queda na Europa, mas subiram na Ásia

As bolsas europeias fecharam em baixa nesta quinta-feira (31), encerrando 2020 no vermelho devido a restrições mais rígidas no Reino Unido e tarifas mais altas dos EUA sobre produtos da União Europeia, tais como vinhos e conhaques da França e Alemanha, que azedaram o clima no último pregão do ano. Na Ásia, os mercados apresentaram alta.

No Brasil , a Bolsa não funciona nesta quinta. Na véspera, último pregão de 2020, o Ibovespa , referência da B3, alcançou 120.149 pontos logo no início da manhã, mas encerrou o dia com recuo de 0,33%, aos 119.017 pontos.

Os volumes registrados no mercado europeu estavam baixos porque muitos operadores saíram para o feriado de fim de ano e algumas das bolsas de valores mais importantes da Europa não abriram suas portas, com exceção de Londres, Madri e Paris.

No final de uma sessão abreviada, o índice FTSE 100 da Bolsa de Londres recuou 1,5%, enquanto o CAC-40 de Paris perdeu 0,9% e o Ibex-35, de Madri, caiu 1%.

O FTSE 100 teve seu pior ano desde a crise financeira de 2008 e suas perspectivas de curto prazo foram afetadas pela imposição de restrições mais rígidas para conter uma nova variante do coronavírus. Já o DAX alemão encerrou 2020 com uma melhoria de 3,5%, perto de máximos históricos, ajudado pela forte demanda por ações de tecnologia e melhores perspectivas de crescimento de seu maior parceiro comercial, a China.

Na Ásia , as bolsas chinesas fecharam a última sessão do ano em alta, com os dados industriais indicando expansão da atividade do setor em dezembro. O índice Xangai Composto subiu 1,72%, a 3.473,07 pontos, acumulando ganhos de 13,87% no ano, enquanto o Shenzen subiu 1,78% na sessão e 35,20% no ano, a 2.329,37 pontos.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 0,31%, a 27.231,13 pontos, mas encerrou o ano com perdas acumuladas de 3,40%. As bolsas de Tóquio e de Seul não abriram nesta quinta-feira devido ao feriado de fim de ano.

Já as bolsas americanas abriram estáveis, com o S&P 500 e o Nasdaq a caminho de registrar ganhos sólidos em 2020 na esperança de que mais estímulos por parte do governo e vacinas contra o coronavírus continuarão a impulsionar uma forte recuperação econômica.

Na abertura do pregão, o Dow Jones subiu 0,03%, a 30.417,64 pontos. O S&P 500 abriu em alta também de 0,03%, em 3.733,27, enquanto o Nasdaq avançou 0,06%, somando 12.877,09 pontos.

Pedidos de seguro-desemprego

O número de norte-americanos que entraram com pedidos de seguro-desemprego pela primeira vez caiu inesperadamente na semana passada, embora permaneça elevado por mais de nove meses após a crise econômica e de saúde desencadeada pela pandemia do coronavírus.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego somaram 787 mil na semana encerrada em 26 de dezembro, em comparação com 806 mil registrados na semana anterior, de acordo com dados do Departamento de Trabalho divulgados nesta quinta-feira. Economistas ouvidos pela Reuters previam 833 mil pedidos na última semana.

Embora os pedidos de auxílio-desemprego tenham caído, eles continuam persistentemente acima do pico de 665 mil ocorrências registrado durante a Grande Recessão de 2007-2009 nos EUA .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários