Esta é a maior operação de fusão do setor desde o início da crise de saúde causa pela pandemia do novo coronavírus
Foto: Divulgação
Esta é a maior operação de fusão do setor desde o início da crise de saúde causa pela pandemia do novo coronavírus

O grupo farmacêutico britânico AstraZeneca anunciou neste sábado (12) a compra da empresa de biotecnologia americana Alexion, por US$ 39 bilhões, em dinheiro e ações, adicionando um especialista no tratamento de doenças raras e imunologia ao seu portfólio de medicamentos para câncer e outras doenças.

Os conselhos de administração das duas empresas aprovaram a fusão, explicou em um comunicado a AstraZeneca.

Esta é a maior operação de fusão do setor desde o início da crise de saúde causa pela pandemia do novo coronavírus, e também o maior negócio pela AstraZeneca desde que foi fundada em uma combinação de empresas britânicas e suecas em 1999.

A compra coincide com os trabalhos do grupo britânico em parceria com a Universidade de Oxford para desenvolver uma vacina contra a Covid-19, cujos primeiros resultados indicam uma eficácia de 70%.

A AstraZeneca, especializada em oncologia, tratamentos cardiovasculares e para doenças respiratórias, reforçará com a Alexion sua posição nas áreas de imunologia e de pesquisas sobre doenças raras. E consolida sua posição entre as 10 maiores farmacêuticas do mundo.

A aquisição da Alexion apoiaria a AstraZeneca em áreas como o tratamento de doenças do sangue, com base na recuperação implementada pelo CEO Pascal Soriot. Desde que assumiu o comando do grupo, em 2012, Soriot levou a empresa do Reino Unido a investir mais para áreas lucrativas, como a oncologia.

Remédios caros para doenças exóticas podem gerar bilhões em vendas de um grupo relativamente pequeno de pacientes. A aquisição de farmacêuticos que se concentram neles tem sido uma forma popular de grandes empresas farmacêuticas a aumentarem as vendas nos últimos anos.

— É um passo importante na história da empresa — disse Soriot. — É uma tremenda oportunidade para acelerarmos nosso desenvolvimento de terapias imunológicas.

O acordo avalia cada ação da Alexion em US$ 175, ou seja, um valor total de US$ 39 bilhões por toda a empresa.

A operação, no entanto, ainda precisa das aprovações das agências reguladoras e dos acionistas dos dois grupos, que esperam finalizar a transação no terceiro trimestre de 2021.

Busca por aquisições

A AstraZeneca estava em busca de aquisições no início deste ano e fez uma abordagem preliminar à Gilead Sciences Inc., conforme informou a Bloomberg em junho.

A Alexion se especializou no desenvolvimento de medicamentos que inibem seletivamente os fatores imunológicos para combater doenças que envolvem o sistema protetor do corpo. Soliris, o maior produto da empresa, é um anticorpo monoclonal aprovado em vários países para o tratamento de doenças relacionadas ao sistema imunológico, como hemoglobinúria paroxística noturna.

Os anticorpos monoclonais têm atraído mais atenção ultimamente porque duas dessas drogas feitas por Eli Lilly & Co. e Regeneron Pharmaceuticals Inc. receberam autorização de emergência nos EUA para o tratamento de Covid-19.

Soliris teve cerca de US$ 4 bilhões em receita de 2019. Mais recentemente, a Alexion lançou o Ultomiris, outro anticorpo monoclonal. A empresa anunciou planos em abril para conduzir testes em estágio final desse medicamento em pacientes gravemente enfermos com Covid.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários