Brasil Econômico

sp
Rogério Cassimiro/Divulgação
Governo de SP volta atrás e amplia horário do comércio no estado

Após o endurecimento das regras para todo o estado de São Paulo, com a regressão à fase amarela do Plano São Paulo, o governo do estado anunciou, nesta sexta-feira (11), que reconsiderou a regra para o comércio e, com isso, flexibilizou as normas para o setor. Agora, os estabelecimentos comerciais poderão ficar abertos até às 22 horas (10 da noite) com limite de até 12 horas de funcionamento por dia, e com 40% de ocupação limite. 

A medida tem o intuito, além de favorecer o comércio em época de compras de final de ano, também diminuir aglomerações nos estabelecimentos comerciais, que ficam mais cheios por conta das compras.

A secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, Patricia Ellen da Silva, comentou que a mudança foi feita após diálogos entre o setor de saúde e comerciantes do estado, que reinvidicaram o final de ano como um importante momento de arrecadação para o setor. A medida também vai afetar o principal ponto de comércio da capital paulista, os shoppings centers.

"Com base em recomendações técnicas da saúde e da ciência, nós vimos que era muito importante realizar um ajuste na fase amarela para a expansão do funcionamento do comércio, de 10 para 12 horas, mantendo a capacidade de 40%", afirmou.

Outras regras

Os bares poderão ficar abertos até às 20h e com limite de até 6 pessoas por mesa. As lojas de conveniência  poderão comercializar bebidas alcoolicas até às 20h. Porém, poderão funcionar até 22h, com capacidade de 40% de ocupação.

Já os restaurantes continuam com permissão para ficarem abertos até as 22 horas, com capacidade de 40%, e com serviço sentados e mesas somente para até 6 pessoas. Nestes locais, a venda de bebidas alcoólicas também só poderá ocorrer até as 20 horas. 

As medidas de restrição já começam a valer a partir deste sábado (12) e terão período de validade de 30 dias, que poderão ser prorrogados.. O Secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, afirmou que as medidas "são pequenos ajustes que impedem práticas de disseminação do vírus".

A diretora do Centro de Vigilância Sanitária, Maria Cristina Megid, afirmou que a partir de amanhã as medidas de fiscalização também serão reforçadas. "Fizemos 110 mil inspeções. Agora, estaremos com um aporte maior de técnicos nas ruas a partir de amanhã."

Apesar das medidas, o governo não alterou a classificação de nenhuma região no Plano São Paulo de flexibilização econômica.  Desde o dia 30 de novembro, todo o estado está na fase amarela da proposta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários