agência inss
Agência Brasil
Previdência ainda não realizou perícias médicas à distância por baixa adesão

Mais de uma semana após a liberação do uso da telemedicina na realização de perícias médicas da Previdência Social, nenhum procedimento à distância ainda foi feito. Das 338 empresas conveniadas ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que estão habilitadas para aderir ao protocolo piloto de teleperícias, apenas três decidiram participar do programa até o momento.

Essas empresas são a Embraer e duas de suas subsidiárias: a Yaborã Indústria Aeronáutica e a Eleb Equipamentos.

"Até o momento, nenhuma perícia por telemedicina foi agendada", informou a Secretaria de Previdência do Ministério da Economia, acrescentando que a comunicação com os funcionários a respeito de participar do projeto piloto fica a critério das próprias empresas.

Os atendimentos por teleperícia foram liberados para ocorrer desde o último dia 16 de novembro. Neste momento, o procedimento estará disponível apenas para concessão de auxílio-doença dos segurados empregados das empresas que possuíam acordo de cooperação com o INSS firmado até o dia 6 de outubro.

O procedimento atende a uma determinação do Tribunal de Contas da União (TCU), com o objetivo de diminuir a fila 750 mil segurados que aguardam atendimento para receber o auxílio-doença da Previdência Social. A previsão é que esse procedimento virtual dure até 31 de janeiro de 2021.

Nessa fase de testes, o atendimento deverá ser agendado pelo empregador em comum acordo com o empregado, e deverá ser realizado nas instalações da própria empresa, com a presença do médico do trabalho. Durante o teleatendimento, esse profissional da empresa vai fazer os testes necessários e responder às perguntas do perito do INSS, que estará do outro lado da videochamada. Assim, o segurado não vai precisar comparecer, num primeiro momento, a uma agência do INSS.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários