Brasil Econômico

Mara Sampaio foi a convidada do Brasil Econômico Ao Vivo desta quinta-feira (19)
Divulgação/Brasil Econômico
Mara Sampaio foi a convidada do Brasil Econômico Ao Vivo desta quinta-feira (19)

A psicóloga social, especialista em atitude empreendedora, desenvolvimento de pessoas e carreira, Mara Sampaio , foi a entrevistada desta quinta-feira (19) da Live Brasil Econômico do Portal iG . A autora dos livros: "Atitude Empreendedora: descubra com Alice seu País das Maravilhas ""Empreender na maturidade: REINVENTE-SE" falou sobre as transformações da pandemia no mercado de trabalho e a necessidade de buscar novos caminhos.

De acordo com a psicóloga, empreendedorismo, em miúdos, é buscar novas soluções, arrojadas, a criatividade empreendedora é potencializada em momentos de dificuldade. Dessa forma, diz a psicóliga, a pandemia ajudou as pessoas a "buscarem uma atitude empreendedora".

Nos últimos meses, o número de empresas abertas tem crescido substancialmente no Brasil. Este mês,  São Paulo quebrou o recorde de novos empreendimentos pela terceira vez seguida , o que ilustra as transformações aceleradas pela chegada da crise sanitária.

Trabalho remoto e novos formatos de criar vínculos

Com grande parte das empresas migrando, temporariamente ou não, para o home office, os vínculos físicos foram quebrados, fazendo com que os colaboradores tenham de se adaptar aos novos formatos de socialização corporativa.

Segundo Mara Sampaio, esse elemento novo trazido pela pandemia não necessariamente é um problema. "Nós seres humanos somos seres sociais. Por outro lado, somos muito adaptativos", diz. Com essas transformações, diz a especialista, as empresas passaram a se preocupar mais com a saúde mental dos colaboradores.

"O trabalho remoto muitas vezes causa aumento de ansiedade e stress. As empresas, então, começaram a cuidar desses aspectos de uma maneira que antes não cuidavam", afirma. 

Para a especialista, isso acontece porque não só os colaboradores tiveram que se adaptar a esse tipo de relacionamento híbrido, mas também os gestores. "Quem está gerenciando também está tendo que se adaptar a esse momento que estamos vivendo. Por isso, as empresas estão mais atentas às estratégias que ajudem a lidar com as fragilidades, a necessidade de atenção e o grau de irritabilidade dos funcionários", explica Mara.

Outra mudança percebida pela psicóloga social é que as empresas passaram a traçar planejamentos mais a curto prazo, já é um momento de instabilidade. "Não sabemos, por exemplo, como será em janeiro de 2021. Em sete meses,  as empresas já perceberam que algumas coisas não voltam mais. Houve mudanças de estrutura física, de gastos, custos, gastos, viagens. O virtual passará cada vez a ser mais forte dentro das organizações", prevê.

Diversidade

O mundo comemora nesta quinta-feira (19) o dia do empreendedorismo feminino, data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2014. Sobre a pauta, Mara afirma que o empreendedorismo é uma grande possibilidade de as mulheres assumirem um protagonismo maior no mercado de trabalho, que, ainda que tenha amenizado, apresenta desproporcionalidade entre mulheres e homens em cargos de chefia.

"Empreender é uma grande oportunidade para as mulheres assumirem protagonismo. O empreendedorismo pode fazer com que as mulheres evoluam rapidamente sem ter que gastar o chamado 'teto de vidro'", diz.

Mara Sampaio falou também sobre as campanhas de estimulação às diversidades,  como a promovida pela Magazine Luiza em setembro, quando criou um programa de trainee exclusivo para negros.

"Existem iniciativas maravilhosas. A diversidade é irmã gêmea do empreendedorismo. Só existe a possibilidade de criar um serviço inovador se garantirmos a diversidade e a pluraridade de opiniões, informações e interações. Isso enriquece demais o mercado, e a espécie humana evolui. Todas as iniciativas que viabilizem a efetividade da diversidade no mercado de trabalho são válidas", finaliza.

    Leia tudo sobre: empreendedorismo

    Veja Também

      Mostrar mais