Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes nos EUA, disse que sua esperança é apoiar pacote de estímulo antes da eleição
Thinkstock/Getty Images
Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes nos EUA, disse que sua esperança é apoiar pacote de estímulo antes da eleição

Como nos pregões ao longo desta semana, o mercado nesta quinta (22) seguiu sendo influenciado pela perspectiva do pacote de estímulo à  economia dos Estados Unidos. Na Bolsa, o Ibovespa (índice de referência da B3) subiu 1,39%, aos 101.954 pontos, maior patamar desde 1 de setembro. No câmbio, o dólar fechou com baixa de 0,28%, a R$ 5,593.

A presidente da Câmara dos representantes, a democrata Nancy Pelosi, e o secretário de Tesouro do governo republicano de Trump. Steven Mnuchin, ainda não firmaram o acordo para um novo pacote trilionário de apoio à economia americana. Porém, as declarações mais recentes de Pelosi animaram os investidores.

Em entrevista à rede americana MSNBC, a presidente da Câmara se mostrou otimista quanto à aprovação da medida antes das eleições presidenciais, marcadas para 3 de novembro.

— (Aprovar antes da eleição) É a minha esperança, estamos trabalhando para isso. Estamos negociando com a presidência e tendo progresso. Os membros da Câmara sabem o que as pessoas estão sofrendo e que nós os representamos. Eu estou otimista porque ambos os lados querem chegar a um acordo — disse Pelosi, durante entrevista à rede americana.

Você viu?

Em Nova York, os índices Dow Jones e S&P subiram, respectivamente, 0,54% e 0,52%. A Bolsa eletrônica Nasdaq teve ganhos de 0,19%.

"Os investidores ficaram ligados no noticiário sobre o novo pacote de estímulos nos EUA. Num momento vão acertar em 48 horas, ou antes da eleição, e em outro a situação ainda conta com divergências significativas entre Democratas e Republicanos. O que se sabe até aqui é que a Casa Branca aceita um pacote de US$ 1,9 trilhão. Sabemos também que a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, parece mais animada com um acordo, o que é bem positivo", escreveu Álvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais, em nota a clientes.

Destaques da Bolsa

Diante da valorização de 1,74% na cotação do barril de petróleo tipo Brent, que fechou a US$ 42,46, as ações da Petrobras terminaram com ganhos. Os papéis ordinários (ON, com direito a voto) e preferenciais (PN, sem direito a voto) subiram, respectivamente, 3,17% e 3,37%.

Os bancos, de maior peso no índice, também contribuíram para os ganhos mais robustos da do Ibovespa. Os papéis ON do Banco do Brasil terminaram com ganhos de 4,34%. As ações PN de Bradesco e Itaú Unibanco avançaram, respectivamente, 4,6% e 5,14%.

"Na agenda doméstica, ainda pesa a questão fiscal em deterioração os problemas levantados para rolagem da dívida e como arranjar receita para o programa de renda mínima. Nesse aspecto, lembramos a fala do secretário de política econômica, Waldery Rodrigues, de que o fiscal robusto é condição necessária para social sólido. Ao mesmo tempo, o presidente Bolsonaro disse que não aumentou e nem aumentará a carga tributária no pós-pandemia" acrescentou Bandeira.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários