Supermercados já sentem redução do auxílio emergencial para R$ 300 e veem vendas em queda
Ana Branco/Agência O Globo
Supermercados já sentem redução do auxílio emergencial para R$ 300 e veem vendas em queda

Os supermercados já começaram a sentir impactos nas vendas com a redução do auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300 , somada à crise econômica em decorrência da pandemia.

De acordo com o colunista do jornal  O GLOBO , Ancelmo Góis, que antecipou a notícia, na primeira quinzena de outubro, as vendas dos supermercados caíram 5% em relação a setembro. No Nordeste, a queda foi ainda mais expressiva e chegou a 10%. A redução do auxílio é vista como a principal explicação;

Para o presidente da Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), Fábio Queiróz, ainda é cedo para calcular a redução. No entanto, ele confirma que os supermercados notaram o impacto e a mudança de preferências de compra:

"Nesse momento, o consumidor opta por comprar mais produtos da cesta básica , e a gente começa a sentir a substituição de produtos pela alta nos preços. O arroz, por exemplo, tem dado lugar ao macarrão e à batata. Já o óleo de soja tem perdido espaço para o óleo de milho", lista.

Como estratégia para alavancar as vendas, o presidente da Asserj afirma que os mercados estão apostando em promoções e numa maior variedade de itens nas gôndolas, dando maior poder de escolha aos clientes.

"Para aquecer, vamos aproveitar as datas sazonais, como Black Friday, Natal, ano novo, além dos aniversários das redes. Esperamos, ao fim de 2020, registrar crescimento de 5% em relação ao ano passado!", conta Fábio Queiróz.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários