Brasil Econômico

Ministro da infraestrutura no Governo Collor, o advogado e consultor João Santana avalia que o Brasil precisa “sair da casinha” para economizar dinheiro com a reforma administrativa. Para ele, o governo precisa de criatividade e aprovar uma nova legislação, além de realizar mudanças constitucionais visando um sistema atualizado que determine as atividades a serem realizadas pelo Estado.


“É necessário fazer (a reforma). Se não, vamos continuar com Estado que daqui a pouco estará gastando muito mais com o serviço público. Ou monta sistema com a lógica como o Estado deve desempenhar atividades, ou vamos reproduzir o Estado que sempre aumenta a atividade do meio, que é onde estão as categorias mais privilegiadas. Temos que mudar o sistema, sair da casinha, para se ter Estado conversando com o cidadão. Isso economiza dinheiro”.


A declaração foi dada por João Santana nesta terça-feira em mais uma edição do projeto Brasil Econômico Ao Vivo , realizadas sempre às terças-feiras. O ex-ministro foi responsável por comandar a reestruturação de carreiras públicas durante o governo do então presidente Fernando Collor de Mello, no ano de 1990. Na ocasião, a reforma resultou na dispensa de cerca de 60 mil funcionários, gerando forte judicialização. E parte dos servidores conseguiu retornar aos postos, por decisão judicial.


João Santana comentou a respeito da proposta de reforma administrativa que o presidente Jair Bolsonaro anunciou, na manhã desta terça, que deverá encaminhar ao Senado, na próxima quinta-feira.

    Veja Também

      Mostrar mais