Crivella
Brenno Carvalho / Agência O Globo
Informação foi confirmada pelo prefeito Marcelo Crivella

A reabertura dos cinemas, teatros e casas de eventos  na cidade, fechados desde março por causa da pandemia, foi adiada por 15 dias conforme anunciou o prefeito Marcelo Crivella, em coletiva ontem à tarde no Riocentro. As autorizações fazem parte da fase 6, a última do plano de  retomada do Rio e estavam previstas para ontem. O principal argumento da prefeitura foi a necessidade de dar mais tempo para observar impactos de atividades que iniciaram, com atraso, nos últimos dias, como visitação a pontos turísticos e congressos corporativos.

Essas atividades faziam parte da fase 5 , liberada dia 31 de julho, mas só obtiveram autorização posteriormente. Outro ponto relevante é o descumprimento de um dos sete indicadores básicos, que medem variação de ocupação de leitos e óbitos, do plano de retomada. Nas últimas duas semanas houve 15.981 notificações de Síndrome Gripal (SG) na cidade, quando o limite deveria ser 10 mil para liberação da fase 6.

A prefeitura, porém, admitiu que a fase 6 pode vir a ser liberada, daqui a 15 dias, mesmo com os casos de SG acima dos 10 mil. O comitê entende que o aumento é normal nessa época, e que há muitos jovens entre os notificados, o que representa menos risco.

"O índice é novo e observamos muitas notificações duplicadas ou erros dos laboratórios privados, que vamos apurar. Então, pode ser que a fase 6 seja liberada mesmo com a quantidade de notificação acima dos 10 mil", disse Patrícia Guttman, superintendente de epidemiologia da Secretaria municipal de Saúde.

A reunião com o Comite Científico ocorreu ontem, e a decisão foi unânime pelo adiamento da fase 6. Os médicos lembraram que não houve, antes, abertura de fase sem todos os indicadores favoráveis.

"Vimos pequena elevação nos casos de síndrome gripal. Mas não acredito numa segunda onda significativa", justificou o virologista da UFRJ e membro do comitê, Amilcar Tanuri.

    Veja Também

      Mostrar mais