Auxílio emergencial
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Auxílio emergencial já foi pago indevidamente a 73 mil militares no Brasil

Autoridades estaduais e federais investigam fraudes na concessão do  auxílio emergencial a pelo menos 602 pessoas no estado do Rio Grande do Su l — a averiguação, conduzida pelas polícias Civil e Federal e pelo Ministério Público,  está no começo e o número de fraudes deve ser ainda maior. Outros órgãos, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Tribunal de Contas da União (TCU) também devem realizar auditorias administrativas.


O auxílio emergencial é destinado pelo governo federal a pessoas prejudicadas economicamente pela pandemia de Covid-19. Um dos principais indícios sobre a sobre a existência de fraudes nesse tipo de benefício foi aberta por uma série de reportagens do Grupo de Investigação da RBS (GDI) veiculada no final de junho. O material mostrou a rotina de 35 pessoas com bom padrão de vida e bens que receberam o benefício federal (de R$ 600 a R$ 1,2 mil mensais) mesmo sem se enquadrarem nos critérios exigidos pela Caixa Econômica Federal.

Entre os que burlaram as regras, estão servidores públicos, construtores, dentistas, fisioterapeutas, comerciantes, industriais, jornalistas e radialistas. Foi revelado também que o benefício foi concedido até para pessoas mortas.

Todas as 35 pessoas denunciadas na reportagem do GDI já estão na mira da Polícia Federal, informa o delegado regional de Investigação e Combate ao Crime Organizado da PF, Alessandro Lopes. Uma primeira triagem será feita pela Corregedoria da PF e, depois, delegados das regiões onde os auxílios foram sacados checarão se os beneficiados se enquadravam nos critérios elaborados pela Caixa.

Mas as investigações não serão restritas apenas aos revelados pela RBS. Segundo Dornelles, a prioridade é identificar quadrilhas que realizam fraudes de forma sistemática, como os grupos que furtam dados de cidadãos. Ao tentar sacar o benefício, os verdadeiros merecedores do auxílio são informados de que seu nome foi usado por estranhos. Em outros casos, os criminosos acessam o benefício usando a identidade de mortos.

Operações anteriores

Uma das maiores investigações realizadas até agora foi pela Polícia Civil, que identificou e prendeu 207 fraudadores do auxílio emergencial. A checagem continua, para verificar como cada um deles conseguiu burlar o sistema da Caixa.

O TCU já abriu investigação para verificar como, no Brasil, 73 mil militares das Forças Armadas sacaram o benefício (que é vetado a servidores públicos). Não se sabe quantos desses atuam no RS. Já o TCE também averigua como 12 mil funcionários públicos municipais e estaduais do RS sacaram o benefício.

    Veja Também

      Mostrar mais