São várias as pesquisas realizadas sobre a intenção de consumo do cliente, sobre a forma em que os brasileiros estão ajustando seu orçamento diante da situação e sobre as opções de créditos buscadas para pagar os gastos desde os primeiros dias em que começou a quarentena até hoje.

renda
shutterstock
Brasileiro vive angústia com encolhimento de renda

Na recente pesquisa do Serasa com o Instituto Split Second, apurou-se que 77% dos brasileiros entrevistados acreditam que a sua renda pessoal já caiu ou vai cair nos próximos dias. Se consideramos que 54% deles tinham uma renda de até dois salários mínimos é lógico pensar que cada vez o ajuste será maior, se a situação não melhorar.

No entanto as prioridades dos brasileiros mudaram neste período de isolamento, no começo pagar aluguel e serviços de educação estavam entre as prioridades, hoje o mais importante para os brasileiros é garantir a alimentação e pagar as contas básicas (energia, gás e água) e também o celular. Por último ficam os seguros, empréstimos e financiamentos.

Segundo a pesquisa da Boa Vista , apesar de que 93% dos entrevistados que recebem o auxílio emergencial estão destinando seus ingressos para as despesas da casa, 57% deles ainda não conseguem pagar todas as contas e se veem obrigados a escolher uma ou outra.

Para enfrentar a queda dos salários e também o desemprego muitos estão procurando uma renda extra, deixando de lado alguns serviços e também cogitam a possibilidade de fazer empréstimos para arcar com suas despesas. Quem quer montar um negócio tem facilidades no momento de conseguir créditos com esse objetivo, caso contrário a situação se complica.

tabela
Divulgação
Tabela elenca a prioridade de pagamento de débitos do consumidor

Até o dia 17 de julho estava em vigência a medida que alterava para 45 dias  o prazo mínimo para exibir as negativações que permitia que os consumidores tivessem um maior tempo para negociar com seus credores. Mas a partir do dia 20 de junho, gradualmente serão retomados os prazos que cada estado praticava, podendo com essa medida complicar o cadastro positivo de muitas pessoas e com isso limitando a possibilidade de créditos.

Mas é preciso ser cauteloso ao escolher a forma de superar a situação. Não é recomendável pegar um empréstimo sem antes avaliar se terá realmente as condições de quitar a nova dívida. Sentar com a família e planejar os ajustes do orçamento é fundamental. O consumidor pode se ajudar usando um comparador de empréstimos e de seguros de carros no Brasil para escolher uma boa opção de crédito e também para contratar proteções mais econômicas para os seus bens.

No segmento de créditos existem inúmeras ofertas, é fundamental realizar uma boa análise das propostas considerando sempre o CET (Custo Efetivo Total) da operação e os prazos, além disso tomar o empréstimo em uma instituição de confiança e não ter o nome sujo é muito importante.

carro
Divulgação
Consumidor pode usar comparador para se organizar melhor


    Veja Também

      Mostrar mais