site
Reprodução dfndr lab
Site falso de leilão é golpe

O golpe do  leilão de veículos online, em que sites falsos fingem ser atreladas ao Detran, vitimizaram 52 mil pessoas no último mês. Os dados são da empresa se segurança digital, dfndr lab. Entre junho e julho de 2020, 819 páginas com esse tipo de golpe foram mapeadas. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os estados com mais pessoas que caíram na fraude.


Os golpistas atraem consumidores com anúncios de automóveis a preços abaixo do mercado e os convencem a fazer o depósito de um lance. Mas o carro nunca é entregue.

Os anúncios parecem verídicos, incluindo falsos detalhes do automóvel como “IPVA pago” e supostas certificações. Além disso, o nome do Departamento de Trânsito ( Detran ) dos estados em questão também são usados para enganar as vítimas. A ideia é indicar que os veículos fazem parte de lotes apreendidos pelo órgão por falta de pagamento de licenciamento, entre outras infrações. Um dos sites falsos traz, por exemplo, “leiloesdetranmg” no endereço, fazendo referência ao Detran de Minas.

Veículos são anunciados com preços que chegam à metade do valor do normal: Palio 1.0 e Siena 1.0 podem sair supostamente por R$ 6,1 mil, enquanto um Honda Fit 1.4 aparece por R$ 7,1 mil. Outros aparecem com lance inicial mais condizente com a realidade. 

Quem cai na propaganda acaba depositando um lance na conta dos criminosos o mais rápido possível para garantir a vaga no leilão. A dfndr lab menciona que as vítimas chegam a entregar dados pessoais, como informações bancárias e cópias de documentos. 

Veja dicas para não ser enganado no golpe de leilão de caros.

Não caia no golpe:

  1. Nunca faça cadastros em sites de leilões antes de pesquisar sobre sua reputação;
  2. Busque o site em serviços como o Reclame Aqui e veja se há possíveis queixas de consumidores enganados;
  3. Na dúvida, nunca envie dados bancários ou documentos;
  4. Confirme no site do Detran se o se o leilão está sendo processado na plataforma do leiloeiro designado pelo órgão;
  5. Softwares antivírus podem bloquear o acesso a ameaças como essa – alguns já reconhecem os links perigosos e impedem de carregar a página.

    Veja Também

      Mostrar mais