cidadão não, engenheiro civil, formado, melhor do que você
Reprodução/TV Globo
Mulher que ofendeu fiscal em bar no Rio de Janeiro foi demitida pela empresa em que trabalhava

Após a  reabertura de bares e restaurantes no município do Rio de Janeiro, cenas de aglomerações foram vistas em muitas partes da cidade, apesar do protocolo adotado pela prefeitura. Reportagem exibida pelo programa Fantástico, da TV Globo, neste domingo (5), retratou o trabalho dos fiscais da vigilância sanitária municipal e mostrou uma mulher agredindo verbalmente um deles. Após a exibição do ataque ao fiscal, ela foi demitida da empresa para a qual trabalhava.

Na reportagem, é exibido um trecho de inspeção de bares e restaurantes na região da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio e a confusão envolvendo um casal e Flávio Graça, superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação em Vigilância Sanitária, Fiscalização e Controle de Zoonoses da Prefeitura do Rio de Janeiro, que levou ao ataque da mulher: " Cidadão não, engenheiro civil , formado, melhor do que você", disse a frequentadora do estabelecimento ao fiscal.

Além de ataques diretos e agressões verbais, o fiscal da vigilância sanitária também sofreu intimidação e ouviu comentários como "posso falar com seu chefe?" e "a gente paga você, filho" do casal flagrado pela reportagem do Fantástico.

A mulher, até então funcionária da Taesa, empresa privada do setor de energia, acabou demitida após a exibição dos ataques ao fiscal da prefeitura. Segundo nota divulgada pela companhia na manhã desta segunda-feira (6), o comportamento da ex-funcionária não condiz com as normas da empresa.

Confira o posicionamento da empresa

A TAESA é uma companhia comprometida com a segurança e a saúde não apenas de seus empregados, mas também com o bem-estar de toda a sociedade. Desde o início da pandemia da Covid-19, a Taesa implementou inúmeras iniciativas para proteger a saúde de seus profissionais e seus familiares, como o home-office para 100% do seu quadro administrativo, e a adoção de diversas outras medidas de proteção para as equipes que operam em campo.

A companhia não compactua com qualquer comportamento que coloque em risco a saúde de outras pessoas ou com atitudes que desrespeitem o trabalho e a dignidade de profissionais que atuam na prevenção e no controle da pandemia.

A TAESA tomou conhecimento do envolvimento de uma de suas empregadas em um caso de desrespeito às leis que visam reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus e compartilha a indignação da sociedade em relação a este lamentável episódio, sobretudo em um momento no qual o número de casos da doença segue em alta no Brasil e no mundo.

A TAESA ressalta que segue respeitando o isolamento e as mais rigorosas regras de prevenção ao coronavírus e que a empregada em questão desrespeitou a política vigente na empresa. Diante dos fatos expostos, a TAESA decidiu por sua imediata demissão.

    Veja Também

      Mostrar mais