donald trump
Evan Vucci/Shutterstock
Donald Trump, presidente dos EUA, conta com a retomada dos empregos para a corrida eleitoral deste ano, em que busca a reeleição

A economia dos Estados Unidos voltou a apresentar sinais positivos, com a criação de vagas de emprego em ritmo recorde em junho, à medida que mais restaurantes e bares retomaram as operações, em mais uma evidência de que a recessão causada pela pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) provavelmente já passou, embora um aumento nos casos de Covid-19 ameace a recuperação.

Segundo o relatório do Departamento de Trabalho dos EUA divulgado nesta quinta-feira (2), a criação de vagas de trabalho fora do setor agrícola chegou a 4,8 milhões em junho. Esse foi o maior salto desde que o governo começou a manter registros, em 1939.

Em maio, haviam sido criados 2,699 milhões de postos de trabalho. A previsão de economistas consultados pela Reuters era de que seriam cradas 3 milhões de empregos no mês passado.

Ainda de acordo com o relatório, a taxa de desemprego nos Estados Unidos surpreendeu e recuou no mês passado mais de dois pontos percentuais, ficando em 11,1%. Em maio, já havia caído a 13,3%, após atingir em abril o maior patamar pós-Segunda Guerra Mundial (14,7%).

Em outro boletim divulgado nesta quinta-feira, o Departamento do Trabalho informou que os pedidos iniciais de seguro-desemprego no país somaram 1,427 milhão na semana encerrada em 27 de junho, abaixo do total de solicitações registradas na semana anterior, encerrada no dia 20, que foi de 1,482 milhão.

    Veja Também

      Mostrar mais