Brasil Econômico

O auxílio emergencial de R$ 600 foi criado para conter a crise econômica no país, em razão do avanço do novo coronavírus (Sars-coV-2). Todavia, o benefício não tem chegado a muitas pessoas que teriam direito a ele.

Leia também: “Já peguei 20 vezes este vírus”, declara Bolsonaro sobre Covid-19

Até o momento a professora não recebeu o auxílio emergencial
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Até o momento a professora não recebeu o auxílio emergencial

A professora particular Fernanda Sodré, de 34 anos, por exemplo, mora em Belo Horizonte (MG), mas teve o acesso ao dinheiro bloqueado, sob a justificativa de residir no exterior.

Leia também: Covid-19: Brasil tem 1,3 mil mortos em 24h; total de óbitos é 32.548

"A primeira parcela foi depositada, e eu deveria receber a segunda no dia 20 de maio. Mas não caiu na conta. Liguei para o teleatendimento e, então, fui informada de que não estava mais apta ao benefício. Quando o aplicativo foi atualizado, apareceu que o pagamento tinha sido cancelado, pois foi constatado que eu moro no exterior. Mas eu nunca morei fora do Brasil", conta ela ao Extra .

Após dois dias exibindo essa mensagem — e sem instruções de como proceder em caso de erro na informação —, o aplicativo mudou o status de seu pedido para "em análise". E mais de dez dias depois, assim permanece.

Print feito pela professora de Minas Gerais
Reprodução
Print feito pela professora de Minas Gerais

"Eu dava aulas particulares, e a maioria dos meus alunos interrompeu o serviço na quarentena. Estou sem remuneração. Tive uma ajuda financeira da minha mãe. Mas, mesmo com isso, cancelei a TV a cabo e não estou conseguindo pagar a escola da minha filha de 3 anos", lamenta Fernanda.

Leia também: Pandemia de Covid-19 está desacelerando em São Paulo, diz secretário

Em recente análise, a Controladoria-Geral da União (CGU) identificou que 22.942 mil titulares de CPFs com domicílios fiscais fora do Brasil receberam o  auxílio emergencial , contrariando um dos requisitos do governo para recebê-lo. Procurada, a Dataprev (empresa de processamento de dados do governo federal) não se manifestou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários