sino reabertura da bolsa de nova york
Reprodução/Bloomberg
Bolsa de Nova York foi reaberta após mais de dois meses com sino representando a volta dos trabalhos

Em busca de demonstrar um sinal de que o pior já passou na cidade de Nova York, a Bolsa de Valores de Nova York (Nyse), com mais de 2.200 empresas listadas, reabriu nesta terça-feira (26) seu pregão presencial pela primeira vez em dois meses. A abertura animou os investidores já pela manhã.

Leia também: Sem "pequenininhas", crédito fica concentrado entre as grandes empresas na crise

O Dow Jones abriu em alta de 2,47%, assim como o índice de tecnologia Nasdaq, com avanço de 1,63%. Já o S&P ultrapassou os 3 mil pontos pela primeira vez desde o dia 5 de março: o índice sobe 1,97%, a 3.014 pontos.

O prédio da Bolsa de NY fica em Wall Street, uma das principais áreas de Manhattan. Desde o dia 20 de março, por causa da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), o pregão era realizado exclusivamente de forma eletrônica.

No site da Bolsa, Stacey Cunningham, presidente da Nyse , disse que esse momento ocorre ao mesmo tempo em que começamos a reabrir a economia. Ela destacou os cuidados com a abertur do pregão, como o uso de máscaras e de distanciamento.

"A área do pregão é muito mais do que o espaço que ocupa. É um símbolo dos Estados Unidos e é um símbolo dos mercados de capitais; é um símbolo da economia e depois dois meses em que o país e o mundo estiveram desligados, queremos liderar a tendência."

Segundo a Reuters , a maior parte dos operadores do mercado, que acompanham os negócios das empresas listadas na bolsa, continuará a trabalhar de casa, assim como a maior parte dos funcionários do mercado.

    Veja Também

      Mostrar mais