Brasil Econômico

hang
Divulgação
Empresário publicou fato mentiroso sobre acadêmico da Unicamp

Luciano Hang, empresário dono da rede de loja de departamentos Havan, perdeu o processo contra o reitor da Universidade de Campinas, Marcelo Knobel.

Hang terá de indenizá-lo em R$ 20,9 mil, além de "publicar, em sua conta no Twitter, retratação [...] da mesma forma (escrita) como foi publicada e com o mesmo número de linhas, em dez dias contados do trânsito em julgado, sob pena de multa diária [...] em R$ 1 mil", segundo sentença do juiz Mauro Iuji Fukumoto, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Campinas, publicada no último dia 19.

O processo tem a ver com um post no Twitter de Hang, de 24 de julho de 2019, em que o empresário escreveu que o reitor da Unicamp havia gritado "Viva la Revolução" durante uma cerimônia de formatura, conforme lhe contara um amigo. 

"E depois dizem que nossas universidades não estão contaminadas? Vá pra Venezuela Reitor FDP", escreveu ainda Hang.

Mas o fato nunca aconteceu. Segundo constatou o juiz, o reitor Marcelo Knobel não estava sequer presente na celebração. "Não compareci a nenhum evento de formatura no final do ano de 2018, e também não proferi o citado chavão em nenhuma ocasião", afirmou Knobel, além de expressar que acredita que o caso se trate de "fake news".

A argumentação da defesa de Hang citou "liberdade de manifestação do pensamento" e, sobre o xingamento ("FDP"), a defesa expressou: "mero dissabor cotidiano a que todos estão sujeitos".

O juiz não aceitou a arguição e entendeu que Hang quis atribuir "pecha de radical e extremista [a Knobel], alguém que em um evento acadêmico manifesta uma posição política sem qualquer relação com o contexto, sendo incapaz de dissociar sua suposta opção ideológica dos deveres inerentes ao cargo que ocupa." No entanto, ainda cabe recurso.

Leia ainda:  Querendo reabrir como essencial, Havan começa a vender arroz e feijão

    Veja Também

      Mostrar mais