Brasil Econômico

Guimarães e Bolsonaro
Reprodução
Presidente da Caixa anunciou segunda parcela ao lado de Bolsonaro

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou nesta quinta-feira (14) o início do pagamento da segundo parcela do auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal. Ao lado do presidente Jair Bolsonaro, Guimarães afirmou que os depósitos devem se iniciar a partir de segunda-feira (18).

De acordo com Guimarães, o pagamento será escalonado com base na data de nascimento dos beneficiários e o novo cronograma será divulgado nesta sexta (15), às 15h.

A Caixa passou duas semanas sem liberar parcela de R$ 600 a famílias mais afetadas pela pandemia. O último levantamento dos pagamentos divulgado pela Caixa, na terça-feira (13), mostrava que tinham sido creditados até então R$ 35,5 bilhões para 50 milhões de brasileiros – mesmos números informados desde 30 de abril.

O presidente da Caixa disse também que o banco vai criar contas digitais para todos os beneficiários  do auxílio emergencial. Durante o pagamento da primeira parcela foram criadas 20 milhões de contas desse tipo aos desbancarizados ou pessoas sem cartão do Cadastro Único do governo federal (CadÚnico).

Os restantes 29,7 milhões de beneficiários receberam o dinheiro em contas bancárias que já existentes ou no cartão do Bolsa Família. Mas de acordo com o presidente da Caixa, até essa parte dos beneficiários  passará a receber o auxílio em uma conta digital da Caixa.

"É muito importante, porque você consegue fazer essa movimentação pelo celular. Isso é uma novidade: nós tínhamos 20 milhões de contas e agora, já para a segunda parcela, teremos 50 milhões de contas digitais", afirmou Pedro Guimarães.

Os detalhes sobre o novo procedimento só serão divulgado na tarde da sexta-feira (15). No entanto, milhões de brasileiros ainda aguardam o benefício da primeira parcela, que teve uma  falha que afetou mais de 30 milhões de pessoas.

Apenas os trabalhadores que já são beneficiários do Bolsa Família têm data para receber a segunda parcela do auxílio, já que os pagamentos seguem o calendário do benefício social.

O presidente da Caixa também anunciou que o banco pagará, nos próximos dias, mais um "lote" referente à primeira parcela.

Devem ser inclusas pessoas que tiveram inconsistências no cadastro e, por isso, ainda estavam com o benefício pendente, mas Guimarães não informou quantas pessoas farão parte desse pagamento e nem se haverá novas liberações da primeira parcela do auxílio de R$ 600 nas próximas semanas.

Leia também:  Governo quer acelerar impressão de dinheiro para pagar auxílios

    Veja Também

      Mostrar mais