Brasil Econômico

dólar
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Dólar dispara e ultrapassa R$ 5,80 pela primeira vez na história nesta quinta-feira (7)

Após mais uma redução na taxa básica de juros do Brasil, a Selic, o dólar comercial se fortalece contra o real nesta quinta-feira (7). A moeda americana opera com alta de 1,89%, valendo R$ 5,811, maior valor de cotação intradiário já registrado desde a criação do Real. O Ibovespa, principal indicador da Bolsa brasileira, abriu em leve alta e subia 0,72% às 10h26, indo a 79.629 pontos.

O mercado esperava um corte de 0,5 ponto percentual na Selic, mas o Banco Central (BC) cortou a Selic em 0,75 ponto percentual. Assim, ela passou de 3,75% para 3% ao ano, menor patamar da série histórica. A queda dos juros, naturalmente, já enfraqueceria o Real frente ao dólar, mas o corte maior que o espera fez com que o mercado reagisse tão mal.

A relação entre a redução da Selic e alta do dólar se dá por conta da falta de atratividade, na operação conhecida como carry trade. Neste sistema, investidores tomam empréstimos em países com juros baixos ou até negativos para investir em títulos públicos de nações com juros elevados, na busca por rentabilidade alta e risco baixo.

Com a queda dos juros no Brasil, esse tipo de operação perde atratividade. Além disso, diante das incertezas econômicas geradas pela pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), investidores têm comprado dólares, o que contribuiu para o avanço da cotação da moeda nas últimas semanas.

    Veja Também

      Mostrar mais