isolamento
Divulgação
Carreata reuniu empresários e trabalhadores do ramo têxtil


Mais de 700 veículos se reúnem na tarde desta quinta-feira (30) no interior paulista para pedir a reabertura do comércio em todo o estado de São Paulo. A carreata começou na cidade de Americana, por volta das 13h30, e percorre um trajeto de 45 quilômetros pela Rodovia Anhanguera até Campinas. 

Os números são dos próprios organizadores da manifestação, que afirmam que a carreata ocupou cerca de 8 km na rodovia. A Polícia Militar do estado de SP acompanhou a manifestação, mas informou que não realiza a contagem de participantes.

Chamado de Volta Consciente SP , o movimento é organizado por trabalhadores, empresários e entidades do setor  têxtil . O grupo se posiciona como apartidário e defende “a proteção da vida, do emprego e da renda diante da crise decorrente da pandemia de Covid-19”, de acordo com manifesto divulgado.

Leia também: Ministro da Saúde conversa com Doria e defende isolamento

Apesar de alegar defender a proteção da vida, o movimento reivindica o fim de medidas de isolamento social , que são essenciais para a contenção da disseminação do novo coronavírus (Sars-Cov-2), e que vêm sendo mantidas pelo governo do estado. 


Isolados pelo fim do isolamento

“A carreata não gera aglomeração, encontro de pessoas, vai cada um no seu veículo, sem causar tumulto nenhum. A ideia é que seja um movimento totalmente limpo, pacífico, apartidário e dentro das normas estabelecidas para o momento”, afirma Michel David, empresário e um dos líderes do movimento.

isolamento social
Divulgação
Movimento pede reabertura do comércio "com consciência"


A reivindicação do movimento é que o comércio seja reaberto imediatamente, ao contrário do que planeja o governo do estado. Michel conta que o setor têxtil está em conversa constante com a gestão pública, mas que há divergências quanto à reabertura do comércio. "Nós temos tido reuniões semanais, o governo recebeu muito bem as reivindicações, tem nos atendido e nos incluiu no plano de organização para a retomada. Ainda existe uma divergência, porque o setor pede urgência nessa retomada e nesse plano”, esclarece. 

Volta consciente

Apesar das recomendações de fechamento do comércio em todo o estado para evitar a disseminação do novo coronavírus, os membros do movimento acreditam que é possível retomar as atividades tomando alguns cuidados.

Leia também: David Uip: "Não tem decisão de abertura de São Paulo em 11 de maio”

O movimento, porém, se priva de criar diretrizes para o retorno do comércio. Michel diz que o setor espera que o próprio governo do estado de São Paulo crie regras para que o comércio possa voltar em segurança. "A gente está deixado a cargo do governo que tem especialistas, eles têm estudos. A ideia é seguir o que o governo determinar. Nossa função como empresário é seguir rigorosamente e incentivar essas normas que possivelmente sejam estabelecidas”, afirma o empresário. “Se faz necessário uma medida de equilíbrio o mais urgente possível”.

Participaram da carreata empresários, trabalhadores e associações e sindicatos do setor têxtil de todo o estado, como a Abit, Fevabras, Acircom, Sinditec, Sinditêxtil e Sindicobi.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários