Ministério da Cidadania, chefiado por Onyx Lorenzoni, disse que governo cancelou antecipação da segunda parcela do auxílio por falta de recurso
Agência Brasil
Ministério da Cidadania, chefiado por Onyx Lorenzoni, disse que governo cancelou antecipação da segunda parcela do auxílio por falta de recurso

O governo voltou atrás e não vai mais antecipar a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600 aos trabalhadores informais, conforme havia anunciado a Caixa Econômica Federal. Em nota, o Ministério da Cidadania informou que faltam recursos no Orçamento para fazer a antecipação do benefício e que será preciso aprovar um crédito suplementar.

Leia também: Senado aprova projeto que amplia alcance do auxílio de R$ 600

Segundo a nota, as três parcelas do auxílio vão exigir um desembolso de R$ 32,7 bilhões cada uma e que já foram transferidos para a Caixa R$ 31,3 bilhões. Além disso, um contingente de 12 milhões de trabalhadores ainda não receberam a primeira parcela.

Você viu?

O cronograma de pagamento da segunda parcela , previsto para começar entre esta quinta-feira (23) e a próxima quarta-feira (29), só será anunciado em maio, segundo a nota. O Ministério menciona ainda que foi alertado pela Controladoria Geral da União (CGU) sobre a questão orçamentária.

"Tanto o Ministério da Cidadania quanto a Caixa manifestaram seu desejo de antecipar o pagamento da segunda parcela. No entanto, devido ao alto número de informais cadastrados e a determinação do governo em não deixar ninguém para trás, todas as expectativas foram superadas e tornou-se imperativo solicitar crédito suplementar para poder completar o atendimento a todos", diz a nota, acrescentando:

“O Ministério da Cidadania produziu nesta data uma nota técnica e já solicitou ao Ministério da Economia a previsão para uma suplementação orçamentaria o mais rápido possível. Em virtude disso, por fatores legais e orçamentários, pelo alto número de requerentes que ainda estão em análise, estamos impedidos legalmente de fazer a antecipação da segunda parcela do Auxílio-Emergencial".

O texto conclui que após a definição da suplementação orçamentária, a Caixa efetuará o restante do crédito da primeira parcela e anunciará o cronograma de pagamento da segunda parcela do auxílio, no mês de maio. "Todos os que forem elegíveis de acordo com a lei irão receber", diz a pasta.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários