Comerciantes que venderem o botijão de gás de 13 kg acima de R$ 70 poderão ser multados e detidos no Estado de São Paulo
Arquivo/Agência Brasil
Comerciantes que venderem o botijão de gás de 13 kg acima de R$ 70 poderão ser multados e detidos no Estado de São Paulo

O Procon-SP vai fiscalizar o preço de venda do botijão de gás de 13 kg ao consumidor final em São Paulo. Os comerciantes que estiverem praticando uma valor acima de R$ 70 poderão ser multados e até detidos por "crime contra a economia popular".

A informação foi passada pelo coordenador executivo do Procon-SP, Fernando Capez, que participou da coletiva diária do governador João Doria sobre a Covid-19. "Qualquer valor acima de R$ 70 , seja R$ 71, seja R$ 80, não deve ser tolerado", reiterou o governador.   

Governo zera imposto de luvas e termômetros clínicos e aumenta lista de isenções

Segundo Capez, a ação será feita pelo Procon-SP em parceria com o Departamento de Polícia Estratégica (Dope). "Não existe qualquer risco de desabastecimento de gás e nem motivo para pagar mais caro no botijão de gás", disse.

O coordenador da entidade ainda afirmou que fez contato com os distribuidores de gás e teve a informação que não há qualquer motivo para que o botijão esteva com preços acima de R$ 68 ou R$ 70. Porém, o Procon tem observado que o vasilhame está sendo comercializado por R$ 90 e até R$ 130

"O governador determinou queo Procon-SP faça um combate implacável e incessante à prática de preços abusivos  no caso do botijão de gás", salientou Capez. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários