Brasil Econômico

Nesta quarta-feira (01), foi realizada uma coletiva de imprensa para o governo falar sobre as medidas anunciadas para auxiliar a saúde, a população e a economia em meio à pandemia de Covid-19

Leia também: Deputado Osmar Terra publica fake news sobre isolamento na Holanda

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes
Antonio Cruz/Agência Brasil
Jair Bolsonaro e Paulo Guedes

Na presença de seus ministros, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) abriu o pronunciamento falando - sem revelar o assunto - que entrou em contato com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Após isso,  Paulo Guedes , ministro da Economia, assumiu o palanque e listou as medidas emergenciais para a saúde, para os empresários e para a população.

Leia também: Contágio em sauna na China aponta que Covid-19 resiste a alta umidade e calor

"Hoje anunciaremos a sanção do projeto do auxílio emergencial, onde 54 milhões de pessoas serão atingidas. De hoje para amanhã três medidas provisórias: a trabalhista, que visa a manutenção de empregos (R$ 58 bilhões), o crédito para manutenção de empregos (R$ 34 bilhões) e o apoio para estados e municípios (R$ 16 bilhões)", dissertou Paulo Guedes. 

Leia também: EUA: hospitais estão demitindo funcionários que denunciam condições de trabalho

Ainda segundo o ministro, que ressaltou que foi apoiado por Bolsonaro , os valores liberados somados equivalem a 2,6% do PIB - Produto Interno Bruto - brasileiro. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários