IOF
iStock
IOF pode passar por redução


Para facilitar o acesso ao crédito durante a crise, o governo estuda reduzir o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) . Segundo um técnico da equipe econômica, a ideia é acabar com o adicional de 0,38% nos empréstimos para pessoas físicas e jurídicas.

O aumento do IOF foi uma medida adotada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para compensar a perda na arrecadação com o fim da CPMF , em janeiro de 2008.

Leia também: Justiça começa a permitir que empresas atrasem pagamentos de impostos federais

Na ocasião, o IOF nas operações de crédito pra pessoa física passou de 0,0041% por dia para 0,0082% por dia. Na prática, o encargo subiu de 1,5% ao ano para 3%. No caso das empresas, a alíquota de 1,5% ganhou acréscimo de 0,38%.

A medida vai reduzir o custo dos empréstimos , disse uma fonte a par das negociações, e deverá ser anunciada no início desta semana via decreto presidencial.

Na avaliação de técnicos da equipe econômica, a alta do IOF acaba anulando os efeitos da queda na taxa básica de juros, a Selic, que está em 3,75% ao ano.

    Veja Também

      Mostrar mais