mapa dinheiro
iStock
A ação é uma forma de mitigar a turbulência causada por causa da crise do coronavírus

Para acalmar os mercados, o Tesouro Nacional anunciou nesta terça-feira nova rodada de leilões de compra e venda de títulos públicos. A ação é uma forma de mitigar a turbulência causada por causa da crise do coronavírus .

Esta é a segunda rodada de intervenções do Tesouro desde o início da crise causada pela decretação de pandemia da Covid-19. Na semana passada, a pasta já havia tomado medida parecida. O objetivo é evitar o que é considerado um mau funcionamento dos mercados.

Governo zera tarifas de álcool em gel, máscaras e respiradores artificiais

Na prática, o governo oferece papéis no mercado para regular a oferta e procura desses ativos. Em momentos de tensão, é comum que mais investidores queiram vender do que comprar títulos públicos. A pasta, então, faz leilões de compra para reduzir a volatilidade.

Na semana passada, o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, lembrou que esse expediente já havia sido usado em crises anteriores, quando o mercado estava "disfuncional".

Dólar dispara e atinge R$ 5,19 pela primeira vez; Bolsas europeias caem

— A gente fez isso lá atrás, em 2017 e 2018, quando o mercado estava disfuncional, quando quem quer vender não encontra comprador — disse Mansueto, na última quinta-feira.

Os leilões do Tesouro estão previstos para os seguintes dias: 19, 20, 23, 24 e 25 de março. As condições das ofertas serão divulgadas sempre na véspera de cada operação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários