Agência Brasil

Principal indicador de criação de empregos com carteira assinada , o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados ( Caged ) passará a ser divulgado com dois meses de defasagem, anunciou hoje (27) a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia

Dólar encerra a R$ 4,475 e renova alta histórica

O intervalo maior decorre da migração do Caged para o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais , Previdenciárias e Trabalhistas ( eSocial ), que entrou em vigor em janeiro. Até então, as contratações e as demissões eram registradas no Caged até o dia 7 do mês seguinte. No eSocial, o prazo foi aumentado para o dia 15 do mês seguinte.

carteira de trabalho
shutterstock
carteira de trabalho


eSocial

Em janeiro, as empresas privadas passaram a registrar as contratações e as demissões no eSocial, em vez de inserirem os dados no Caged e na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). Os órgãos públicos e as entidades internacionais migrarão para o sistema eletrônico nos próximos meses. Segundo o Ministério da Economia, a expectativa é de que ninguém mais precise preencher o Caged em 2021 e a Rais em 2022.

O alongamento do prazo é definitivo. Os resultados do emprego formal de fevereiro só serão divulgados na segunda quinzena de abril, com a defasagem mantida para os meses seguintes. Segundo o Ministério da Economia, a substituição do Caged pelo eSocial pretende consolidar e simplificar obrigações aos empregadores.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários