Brasil Econômico

Os números do e-commerce brasileiro nunca foram tão positivos. O crescimento registrado em 2019 foi de 22,7% e o faturamento, de R$ 75 bilhões. Os números são do relatório NeoTrust, que analisa o varejo digital trimestralmente com base em dados coletados pelo Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado focada em e-commerce.

e-commerce
shutterstock
Aplicativos usados para compras de itens usados são os mais populares entre os consumidores com acesso à internet

O que mais impressiona nos dados apresentados pelo levantamento é a consolidação do modelo de compras pela internet com a adesão sustentável do consumidor ao e-commerce brasileiro .  De acordo com o estudo, o poder aquisitivo do consumidor não variou significativamente no período: o valor médio das compras realizadas foi de R$ 420,40 (incremento de apenas 0,2% em relação ao ano anterior). Portanto, a alta significativa está relacionada principalmente ao volume de pedidos realizados.

Leia também: Os 5 kits de banho mais vendidos na loja virtual da Amazon no Brasil

De acordo com André Dias, diretor executivo do Compre&Confie , a maior integração multicanal é um dos fatores da forte recuperação do varejo digital em 2019. Foram feitas 178,5 milhões de compras, valor que representa aumento de 22,5% em relação a 2018.

Um exemplo dessa integração é a curadoria feita pelo iG , que nos próximos dias lança o canal iG Mais , de produtos à venda na gigante do varejo Amazon . De promoções e ofertas a dicas específicas para seus leitores, essa curadoria otimiza o tempo do leitor com indicações confiáveis  para um site de compras de prestígio internacional e que cresce velozmente no Brasil.

Quem compra mais

Ainda segundo o estudo,  o público feminino foi responsável por 52,1% dos pedidos de compra feitos no país durante o ano de 2019. Apesar de comprar mais, as mulheres gastaram menos: o gasto médio foi de R$ 371,70 por compra, enquanto os homens gastaram R$ 473,60 em média.

Segmentando todos os consumidores por faixa etária, é possível perceber que os que têm entre 36 e 50 anos realizaram o maior volume de compras (33,6% do total dos pedidos feitos durante o ano). Logo atrás, estão os que têm entre 26 e 35 anos, com 31,8% das compras.

A região Sudeste responde pela maior parte das compras online em 2019. O percentual advindo da região corresponde a 66,2%. O Nordeste surge em uma distante segunda posição com 11,9%.

Otimismo

e-commerce
shutterstock
Perspectiva é de crescimento ainda maior do e-commerce brasileiro em 2020

O crescimento mais importante e que está intrinsicamente relacionado à integração multicanal das plataformas online é justamente entre os novos consumidores. O número de consumidores únicos em relação a 2018 registrou um aumento de 40,6% e chegou a 31, 6 milhões de pessoas.

Leia também: 5 smartwatches para quem quer fugir do relógio da Apple

A estimativa do Compre&Confie é de que esse crescimento siga acelerado em 2020 e que o e-commerce brasileiro R$ 90,7 bilhões neste ano.

    Leia tudo sobre:

    Veja Também

      Mostrar mais