O resultado é puxado pelo desempenho da China
Divulgação
O resultado é puxado pelo desempenho da China

As exportações brasileiras de carne bovina encerraram o mês de janeiro com alta no comparativo com o mesmo período do ano passado. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), o volume exportado no primeiro mês do ano foi de 135.375 toneladas, crescimento 9,84% em relação a janeiro de 2019.

China determina aumento na produção de alimentos por crise do coronavírus

Já o faturamento cresceu 37,9%, somando US$ 633,25 milhões. “É um resultado positivo e que vai de encontro com as nossas estimativas de crescimento para esse ano”, avalia o presidente da Abiec, Antônio Jorge Camardelli.

O resultado é puxado pelo desempenho da China, que se mantem como principal destaque entre os principais mercados.

Você viu?

Cinco empresas brasileiras já perderam R$ 54 bilhões com coronavírus

Os embarques para aquele país somaram 53,2 mil toneladas, crescimento de 126% em relação ao mesmo período do ano passado. Em receita o avanço foi de 200% com US$ 322,8 milhões.

Na segunda-feira (3), as ações dos frigoríficos subiram, após o ministro do comércio da China afirmar à Reuters que pretende aumentar as importações de carne bovina e suína.

O objetivo seria estabilizar a oferta doméstica, que vem inflando o preço do produto desde o ano passado, quando a peste suína exterminou rebanhos chineses.

Na primeira metade de janeiro, o país asiático importou 310 mil toneladas de carne – quantia 275% acima da registrada no mesmo período de 2019.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários