Oposição busca ampliar o 13º do Bolsa Família e beneficiar também quem recebe BPC
Divulgação/Caixa Econômica Federal
Oposição busca ampliar o 13º do Bolsa Família e beneficiar também quem recebe BPC

O Congresso retomou os trabalhos nesta segunda-feira (3) e agora corre para destravar a pauta das duas Casas, que têm 27 medidas provisórias para serem analisadas. Entre elas, algumas que tramitam em regime de urgência e têm prioridade na fila de votações. Uma delas instituiu o 13º salário do Bolsa Família com extensão a quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC), destinado a idosos e deficientes de baixa renda. Esse pagamento equivale a um salário mínimo, hoje em R$ 1.045.

Leia também: Bolsonaro não cumpre promessas e enfraquece Bolsa Família para 2020

"A comissão mista responsável pela análise da MP 898/19, que estabelece o pagamento, se reúne nesta terça-feira (4) a partir das 14h30 para votar o relatório", informou o senador Paulo Paim (PT-RS). O petista diz acreditar que a MP será aprovada, estendendo o 13º do Bolsa Família aos que recebem BPC.

"O BPC tem por objetivo amparar pessoas à margem da sociedade e que não podem prover seu sustento. Conceder o 13º visa corrigir desigualdade e garante a isonomia entre esses beneficiários e os demais do INSS, que já recebem a renda extra no mês de dezembro de cada ano", afirma o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), relator da matéria.

O parecer do senador também incluiu uma emenda que fixa um reajuste anual no Bolsa Família , que hoje depende da vontade do presidente da República. A fonte dos recursos para os abonos foi questionada pela presidente da Federação das Associações de Aposentados do Rio, Yedda Gaspar. "É preciso um estudo profundo pra ver se o Tesouro Nacional está preparado para esta despesa", avalia.

Leia também: Governo dá poder a Guedes e cria secretaria para acelerar privatizações

Números do programa

O Bolsa Família atende a aproximadamente 13,5 milhões de famílias, em situação de extrema pobreza (com renda per capita de até R$ 89 mensais) e de pobreza (com renda per capita entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais). Neste último caso, o pagamento só é feito quando há presença de gestantes ou crianças e adolescentes entre os moradores. O benefício médio é de R$189,21.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários