Gol e American Airlines assinaram acordo de voos compartilhados entre Estados Unidos e Brasil
shutterstock
Gol e American Airlines assinaram acordo de voos compartilhados entre Estados Unidos e Brasil

A Gol Linhas Aéreas e a American Airlines anunciaram nesta terça-feira (4) um acordo de codeshare, quando uma companhia pode vender assentos em voos operados pela parceira, ampliando a oferta de ligações entre Estados Unidos e Brasil, o que permitirá também à americana avançar em destinos na América do Sul.

Leia também: Exportações devem cair com coronavírus, mas impacto não é imediato, diz governo

O anúncio põe fim a negociações iniciadas depois que a também americana Delta Air Lines anunciou em setembro passado que venderia sua fatia de 12% das ações preferenciais da Gol para adquirir 20% do capital da Latam. A American Airlines passou um longo período costurando a criação de uma joint-venture com a companhia chilena, que acabou barrado pelos órgãos reguladores da concorrência do país.

Delta e Latam também anunciaram um acordo de voos operados em código compartilhado entre EUA e América do Sul. Em dezembro passado, a americana vendeu sua fatia na Gol por cerca de R$ 1,15 bilhão.

O interesse das grandes voadoras dos EUA no Brasil é crescente. A United já é parceira da Azul e, segundo fontes de mercado, as duas empresas vêm conversando sobre ampliar suas relações.

Você viu?

O acordo deve ajudar a Gol a acelerar seus planos de expansão, segundo o presidente da empresa aérea, Paulo Kakinoff: "Fortalecerá nossa presença nos mercados externos e irá acelerar nosso crescimento no longo prazo", disse ele em comunicado distribuído na manhã desta terça-feira.

A Gol atende 88 destinos no Brasil e 16 no exterior, além de contar com outros 149 destinos operados por meio de codeshare. Seus principais pontos de conexões com voos da American serão as cidades de Orlando e Miami, na Flórida.

Líder no mercado de aviação americano, a American é também a principal companhia no aeroporto de Miami, um de seus pontos de distribuição de voos nos EUA. De lá, os passageiros da Gol poderão embarcar em 540 operações da parceira.

As duas empresas estão entre as afetadas pela paralisação das atividades com o Boeing 737 Max , ocorrida após dois acidentes fatais com aviões da série da fabricante americana.

Leia também: Governo dá poder a Guedes e cria secretaria para acelerar privatizações

Em breve, o acordo firmado entre Gol e American incluírá mais de 30 destinos nos Estados Unidos, diz Eduardo Bernardes, vice-presidente comercial e de marketing da brasileira. Mas ainda não está claro quantos voos será operados em sistema compartilhado num primeiro momento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários