Bolsonaro diz que aumento de IPI sobre concentrados de refrigerante na Zona Franca será temporário
shutterstock
Bolsonaro diz que aumento de IPI sobre concentrados de refrigerante na Zona Franca será temporário

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (15) que irá aumentar a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI ) cobrada sobre os concentrados para refrigerantes fabricados na Zona Franca de Manaus . A medida é positiva para indústrias instaladas na região.

Na Zona Franca de Manaus, o IPI é zero, mas as companhias que compram o xarope para o refrigerante cobram o crédito tributário sobre a alíquota incidente do produto fabricado em outras regiões do país.

Dólar volta a subir e é negociado a R$ 4,16; Bolsa recua aos 116 mil pontos

Se o fabricante compra o xarope para produzir o refrigerante por R$ 100 a uma alíquota de 10%, tem direito a R$ 10 em créditos tributários, que podem ser usados até mesmo para abater dívidas com a União.

Por isso, aumentar o IPI é positivo para as indústrias instaladas na Zona Franca, como Coca-Cola e Ambev. Já os produtores nacionais da bebida reclamam do benefício e defendem que o IPI seja reduzido.

Polícia confirma segunda morte por sintomas relacionados à cerveja Belorizontina

Em 2018, o então presidente Michel Temer editou um decreto que reduziu de 20% para 4% a alíquota. Meses depois, no entanto, recuou e restabeleceu em parte o benefício tributário, aumentando a alíquota para 12%, no primeiro semestre de 2019, e para 8% no segundo semestre.

No ano passado, Bolsonaro editou um decreto mantendo a alíquota de 8% entre julho e setembro e estabelecendo um percentual de 10% entre outubro e dezembro. Em 2020, contudo, o percentual voltou a ser 4%.

Bolsonaro anuncia novo aumento e fixa salário mínimo em R$ 1.045

Agora, de acordo com Bolsonaro, haverá um escalonamento até que a alíquota volte de 4% em dois ou três anos.

— Houve um mal-entendido no ano passado, já conversei com o Paulo Guedes, a gente vai passar, se não me engano, de 10% para 8%, até chegar a 4%, daqui a dois, três anos — disse Bolsonaro, na saída de uma reunião no Ministério de Minas e Energia.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários