Tamanho do texto

Proposta foi feita pelo Brasil e aprovada pelo Mercosul, mas efetivação ainda depende de regras internas; confira mais acordos selados na cúpula do bloco

compras no exterior arrow-options
Reprodução
Mercosul aprovou dobrar valor isento de taxas em compras no exterior entre membros do bloco

O Mercosul aprovou nesta quinta-feira (5), durante a reunião da cúpula do bloco, em Bento Gonçalves (RS), um acordo para autorizar que os quatro países aumentem a cota para compras isentas de taxas em viagens pelo Mercosul. O valor dobrou de US$ 500 para US$ 1.000.

Leia também: Puxada pela alta da carne, inflação chega ao maior nível em novembro desde 2015

O Brasil já havia reajustado a cota de compra nos free shops para o mesmo valor, mas para a medida ser adotada também em viagens internacionais, era preciso que o bloco aprovasse o acordo.

Para que a medida seja efetivada, porém, cada país tem que aprovar uma regra interna. No caso do Brasil, a Receita Federal deve publicar uma resolução com a mudança. Se efetivado, o valor valerá para viagens por meio aéreo ou marítimo dentro do  Mercosul e engloba compras em qualquer país na região que compõe o bloco.

Leia também: Previdência dos militares é aprovada e garante privilégios da categoria

Além do acordo em relação às compras no exterior , a cúpula do Mercosul também selou acordos do Brasil com Argentina e Paraguai. Com os "hermanos", foi ampliada a quantidade de voos semanais entre os países, com o limite saltando de 133 para 170. Já com o Paraguai, foi finalizada negociação que libera o comércio de veículos e autopeças entre os dois países.