Tamanho do texto

Ministro da Economia garantiu o fim do encargo sobre a folha de pagamento de empregados

Guedes arrow-options
Leonardo Rodrigues / Agência O Globo
“O caminho do partido único, o caminho do confronto social, do fechamento econômico, não é o caminho”, defendeu

O ministro da Economia, Paulo Guedes , defendeu nesta sexta-feira (22) o fim dos encargos sobre a folha de pagamento de empregados. De acordo com ele, esse é o imposto “mais cruel que existe”.

Durante o seu discurso no Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), no Rio, Guedes garantiu que vai acabar com o encargo. "Você tira da informalidade. Você tem, de um lado, o ganho de produtividade do trabalho, o emprego, o salário e contribuições para a Previdência . (Se) Está todo mundo empregado, todo mundo pode pagar”, afirmou.

O ministro lembrou a situação de turbulência enfrentada por países vizinhos, como Venezuela e Chile . “O caminho do partido único, o caminho do confronto social, do fechamento econômico, não é o caminho”, defendeu.

Para ele, o Brasil está no caminho certo, avançando na velocidade esperada pelo governo, gerando emprego de forma mais rápida que nos últimos anos.

“Nós estamos no caminho certo e vamos melhorar. O mundo está desacelerando, nós estamos acelerando. O mundo está se fechando, nós estamos começando a abrir, depois de 40 anos fechados”, disse o ministro.

Guedes complementou que a abertura da economia será gradual, acompanhada de um processo de reindustrialização, com a reintegração do Brasil às cadeias globais.