As vendas de livros com temática LGBTQ+ subiram depois da polêmica na Bienal.
Marcos Ramos / Agencia O Globo
As vendas de livros com temática LGBTQ+ subiram depois da polêmica na Bienal.


Em resposta à apreensão de obras LGBTQ+ no Bienal do Livro do Rio de Janeiro, editoras e autores decidiram disponibilizar gratuitamente vários títulos com a temática. Além disso, muitas editoras viram suas vendas crescerem em obras similares. 

Leia também: Memes criticam tentativa de Crivella de censurar HQ na Bienal do Rio

A editora Rico foi uma das que cabeceou a iniciativa de disponibilizar os livros gratuitamente. Em suas redes sociais, ela anunciou que seus ebooks com temáticas LGBTQ+ estão acessíveis gratuitamente. “Queremos que cada vez mais leitores se sintam representados nas páginas de nossos livros”, afirmou a editora em um post no Instagram. 

Você viu?


Além da Rico, alguns autores também liberaram suas obras depois da polêmica na Bienal . Wilian Fernandes Pereira disponibilizou seu título “As chaves do armário” e Victor Lopes liberou “Quero andar de mãos dadas”, dentre outros autores. As obras estão disponíveis como ebook no site da Amazon

Vendas crescem depois da polêmica na Bienal

Além dos livros disponibilizados gratuitamente, outra novidade é que, durante a Bienal, muitas editoras viram suas vendas em obras com temática LGBTQ+ crescerem, quando comparadas com as do ano passado. A Intrínseca notou um aumento entre 100% e 600%, dependendo do título. 

Além dela, Planeta e Record registraram aumentos próximos dos 70%, enquanto as vendas da Globo Alt. subiram 20%. No total, os organizadores estimam um total de 4 milhões de livros vendidos. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários