Tamanho do texto

Empresário que enviou presente a primeira-dama diz que não se tratou de ação de marketing, mas vendas das peças também cresceram cerca de 25%

lingeries de michelle bolsonaro arrow-options
Reprodução
Divulgação de lingeries de Michelle Bolsonaro no Instagram aumentaram as vendas dos produto



A ideia era fazer uma gentileza, mas para a empresa Biobela Cintas, que presenteou Michelle Bolsonaro com lingeries da marca, a publicação das peças na conta do Instagram da primeira-dama acabou gerando negócios.

“No dia seguinte a procura pelas peças que ela divulgou aumentou em 100%”, afirma o sócio e diretor de marketing da Biobela Cintas, Lucas Lino Cordeiro.

Instagram: conheça as 35 celebridades que mais faturam na rede social

Ele afirma que a divulgação na conta de Michelle, sozinha, aumentou as vendas efetivas das peças de 20% a 30%. “Sem contar as vendas que vieram da repercussão de outras influenciadoras”, diz. Michelle Bolsonaro tem hoje 600 mil seguidores no aplicativo de fotos.

Segundo Cordeiro, a empresa tem uma estratégia de marketing que envolve modelos e influenciadoras digitais , tanto que Sabrina Sato, com mais de 22 milhões de seguidores só no Instagram, é garota propaganda na marca. No caso de Michelle Bolsonaro, porém,  foi tudo uma surpresa.

“Quando enviamos o presente combinamos que não iríamos falar nada, e muito menos pedimos qualquer divulgação, porque sabemos que tem o fator política . Quando ela divulgou foi uma surpresa, Nós só queríamos fazer uma gentileza e que ela gostasse”, relata.

Lingeries de Michelle Bolsonaro no Instagram mostram estratégia da primeira-dama

Segundo o empresário, a primeira-dama teve contato com a marca por uma publicação da Sabrina Sato. “Ela viu um publicação da Sabrina e entrou em contato com a gente. Até achamos que era uma assessoria. Quando percebemos que era realmente a primeira-dama , quisemos presenteá-la”, conta Cordeiro.

Estratégia

A Biobela Cintas existe há sete anos na capital paulista e começou a investir nas redes sociais há cerca de dois, com canais no Instagram, Facebook e Youtube, além de iniciar uma loja virtual. Hoje, só no Instagram a empresa tem mais de 400 mil seguidores. “A internet representa hoje pelo menos 40% do faturamento”, diz Cordeiro.

Antes, as vendas  eram só no atacado. A empresa fabrica cintas e modeladores para estética, pós cirúrgica, gestante, e pós-parto, além de lingerie.

Para o empresário daqui a uma década as vendas serão todas feitas pela internet . ˜É importante a gente estar presente nas redes sociais porque daqui a dez anos, vai ser tudo pela internet”, conta.

A empresa tem parcerias com modelos e celebridades . Já participaram de ações em redes sociais da fábrica artistas como a dupla sertaneja Simone e Simaria.

Michelle Bolsonaro exibe lingerie que ganhou de fã no Instagram

"Algumas modelos a gente percebe que têm um engajamento nas redes sociais que geram vendas diretas. Outras são mais para divulgação da marca mesmo. A Sabrina Sato, por exemplo, é um misto dos dois”, conta Cordeiro.

    Leia tudo sobre: Instagram