Tamanho do texto

Presidente garante que governo não vai propor o retorno do antigo tributo ligado a transações bancárias. Ele afirma que a proposta de reforma tributária do governo envolve unir quatro ou cinco impostos federais.

Jair Bolsonaro arrow-options
Agência Brasil - Alan Santos/PR
Presidente Jair Bolsonaro descarta incluir tributo sobre movimentação financeira (CPMF) na proposta do governo da reforma tributária

O presidente JairBolsonaro afirmou nesta sexta-feira (19) que a  CPMF  não voltará e novos impostos não serão criados na proposta de reforma tributária do governo, mas disse que o Congresso tem seu próprio projeto para o tema.

"Primeiro, não criaremos nenhum novo imposto. O que está tramitando lá, é do Parlamento, não é nosso. Queremos fazer reforma tributária e mexer com impostos federais apenas", afirmou Bolsonaro em um café da manhã com jornalistas de agências internacionais.

Segundo o presidente, a ideia do governo federal é fazer uma reforma tributária apenas simplificando os impostos federais, sem envolver arrecadação de Estados e municípios.

"Ao longo de 28 anos como deputado, quiseram envolver estados e municípios. Não dá certo. A equipe do Paulo Guedes quer simplificar tributos federais, não criando novo imposto. O negócio é fundir impostos", ressaltou o presidente.

Ele ainda acrescentou que a proposta de reforma do governo pode fundir quatro ou cinco impostos, mas assegurou: "CPMF de volta, não!".