Segundo o presidente, política de preços da Petrobras pode ser revista desde que não haja prejuízos para a empresa
Alan Santos/PR
Segundo o presidente, política de preços da Petrobras pode ser revista desde que não haja prejuízos para a empresa


O presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou, na noite desta quinta-feira (16), que o preço da gasolina vai cair e ressaltou que ele não tem culpa da alta no valor. Em uma transmissão ao vivo no Facebook, Bolsonaro disse, ainda, que considera uma mudança na política de preços da Petrobras, que "pode ter algum equívoco".

Leia também: Botijão de gás: entenda o aumento e saiba se governo realmente pode baixar o preço

"O pessoal reclama do preço da gasolina , R$ 5. E me culpam, atiram para cima de mim o tempo todo. Olha, o preço do combustível é feito lá pela Petrobras, que tem a sua política de preços. Leva-se em conta o preço do barril de petróleo lá fora, bem como a variação do dólar", disse o presidente.

Segundo Bolsonaro , a política de preços da Petrobras pode ser repensada desde que não traga prejuízos para a empresa.  É lógico que se a gente puder rever isso aí sem prejuízo para a empresa, sem problema nenhum. Às vezes a política pode ter algum equivoco, mas  o preço vai cair, sim, quando...", acrescentou.

Você viu?

Sem terminar a frase, Bolsonaro passou a palavra para o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que estava sentado ao seu lado. "Quando nós tivermos maior produção, quando não formos dependentes do petróleo, que nós hoje em dia ainda continuamos exportando e importando uma grande quantidade de diesel, gasolina e até etanol", afirmou o ministro.

No mês passado, Bolsonaro provocou forte queda das ações da Petrobras ao telefonar para o presidente da estatal, Roberto Castelo Branco, para pedir explicações sobre os motivos da elevação no preço do diesel nas refinarias, preocupado com a possibilidade de greve dos caminhoneiros.

Leia também: Petrobras já perdeu R$ 91 milhões desde interferência de Bolsonaro no diesel

A interferência levou a estatal a cancelar o aumento previsto, de 5,7%. Dias depois, a companhia anunciou reajuste de R$ 0,10 no valor do diesel (4,84%).



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários