Tamanho do texto

Dados do Ministério do Trabalho e Emprego mostram que houve alta de 547% de profissionais da área assistencial exclusivamente para idosos

Residencial Santa Cruz é uma moradia para idosos com mais de 60 anos
Divulgação
Residencial Santa Cruz é uma moradia para idosos com mais de 60 anos


A população brasileira com mais de 60 anos cresceu 18% desde 2012, superando 30 milhões de idosos, de acordo com dados do IBGE – Instituto Brasileiro Geografia e Estatísticas. Os 4,8 milhões de novos idosos em cinco anos têm se tornado cada vez mais representativos. Uma das áreas de destaque é a assistencial, em que os dois perfis altamente requisitados são o geriatra e o profissional gerontólogo. Para Priscila Kim, administradora do Residencial Santa Cruz, moradia para pessoas com mais de 60 anos, o mercado de trabalho para ambas as atividades deve continuar em ascensão.

Leia também: Moradores da terceira idade: os cuidados que os condomínios devem ter com idosos

Para alguns negócios essas especialidades são fundamentais para a qualidade do serviço, caso das Instituições de Longa Permanência para Idosos, como o Residencial Santa Cruz .

O médico geriatra é uma espécie de clínico geral especializado na fase idosa e trata doenças ligadas ao envelhecimento. Já o gerontólogo estuda o processo de envelhecimento e traça estratégias para melhorar a qualidade de vida do idoso, podendo atuar em diversas frentes, como psicólogo, fisioterapeuta, enfermeiro e outras atividades do atendimento multidisciplinar, apoio ao familiar, gestão e docência.

Leia também: Inflação para pessoas da terceira idade cresce e tem alta de 3,53% em 12 meses

De acordo com levantamento da Confederação Nacional do Comércio do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, que teve como base dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), dentre as 20 profissões que mais avançaram entre 2007 e 2017 se destaca uma predominância de atividades voltadas para a saúde, como cuidadores de idosos, técnicos de enfermagem, entre outros; e o número de profissionais atuantes na área assistencial para essa faixa etária da população passou de 5.263 em 2007 para 34.051 em 2017, crescimento de 547%. 

No Residencial inaugurado há pouco mais de um ano, dos 45 colaboradores registrados no regime CLT, 62% são da área assistencial, que atuam na enfermagem e fisioterapia, além de outros quatro profissionais especializados: médico geriatra, psicólogo, oficineiro e musicoterapeuta.

“Temos 35 residentes e nossa expectativa para 2018 é chegar a 53% de ocupação. Para mantermos a alta qualidade de nossos serviços, faremos a contratação de novos profissionais, principalmente da área da enfermagem”, explica Priscila Kim.

Leia também: Pesquisa identifica o hábito de consumo das pessoas acima de 60 anos

 Hoje a área assistencial do Residencial mantém atendimento do médico geriatra três dias por semana; enfermagem 24 horas, responsável pelo gerenciamento dos medicamentos; cuidadores 24 horas; fisioterapeuta para atividades físicas e nutricionista responsável por seis refeições diárias. O empreendimento também conta uma equipe que atua em atividades como hidroterapia, psicologia, fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional.

 “Importante ressaltar que se trata de um público de cuidados específicos e que, além da especialização e da formação técnica, o profissional precisa ter ou desenvolver outras competências, como comunicação, organização, trabalho em equipe, relacionamento interpessoal, iniciativa, comportamento ético e humanização”, conclui a administradora do Residencial Santa Cruz , Priscila Kim

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas